Dipirona: o que é, para que serve e indicações

25 de abril, 2022

Quem já teve febre ou cuidou de alguém em estado febril provavelmente já fez uso de dipirona. No entanto, essa não é sua única indicação: o medicamento também pode aliviar sintomas como dor de cabeça e dor muscular¹. Classificado como um antitérmico e analgésico, a dipirona é um MIP (Medicamento Isento de Prescrição) e, por isso, pode ser adquirido na farmácia sem receita médica. De qualquer forma, é importante ter alguns cuidados, como explicaremos adiante. Conheça, agora, as principais indicações sobre o medicamento.

O que é dipirona e pra que serve?

Comercializada em mais de 100 países, a dipirona é um analgésico e antitérmico do grupo das pirazolonas. Serve, em outras palavras, para “diminuir e tratar picos febris”, afirma o Dr. Nelson Douglas Ejzenbaum, pediatra e neonatologista. Além disso, é bem tolerada e alivia os sintomas de febre e dor em minutos. Assim, a dipirona causa uma queda de febre de 30 a 60 minutos após o uso. Seu pico de ação, ou seja, efeito máximo, pode ocorrer em até 4 horas.

Existem vários tipos de apresentação da dipirona: comprimido (comuns ou efervescentes), gotas, xarope, injetável (indicado para utilização hospitalar) ou supositório. É importante respeitar as dosagens indicadas na bula¹ e iniciar o uso desse medicamento a partir das menores dosagens disponíveis, deixando as maiores para situações mais graves.

Como o remédio atua no organismo?

De acordo com o Dr. Thiago, a dipirona é metabolizada pelo fígado e expelida pelo trato urinário. “Sua capacidade analgésica se dá pela inibição da síntese de nociceptores, terminações nervosas sensíveis à dor. Já no manejo da febre, ela possui um efeito inibitório sobre os centros termorreguladores (responsáveis pela manutenção da temperatura corporal em torno dos 37ºC), promovendo uma normalização na produção de calor”, explica.

Lembrando que os comprimidos devem ser ingeridos, preferencialmente, com água. No caso do formato de gotas, como o medicamento é amargo, é possível diluí-las em um pouco de água.

Para quem a dipirona é indicada? E contraindicada?

De acordo com o pediatra, crianças podem usar dipirona a partir dos 3 meses de idade. Nesse caso, são indicadas diferentes formas farmacêuticas (gotas ou solução oral, por exemplo) para cada faixa etária, além de dosagens específicas de acordo com o peso. “Crianças que têm problemas renais ou hepáticos também podem utilizar, mas a dose deve ser acertada de acordo com o problema com o médico”, explica o Dr. Nelson.

O medicamento é contraindicado em algumas situações. “Pessoas que possuem reações anafilactoides, como urticária, angioedema, devem evitar seu uso, bem como aquelas com hipersensibilidade à dipirona ou a qualquer um dos componentes de sua formulação. Pacientes com a função da medula óssea prejudicada também devem evitar”, afirma o Dr. Thiago.

Durante a gestação, explica o clínico geral, o uso deve ser avaliado pelo médico. Por fim, quanto aos idosos, a dose da dipirona corresponderá à dos adultos a depender de seus estados gerais de saúde. No caso de pessoas debilitadas, um médico deverá avaliá-los para definir a terapia (dose e tempo de uso).

Efeitos colaterais 

Efeitos colaterais são raros, mas podem ocorrer sintomas como sonolência, mal estar gástrico e até vertigem. Em casos ainda mais raros, pode causar hipotermia.

“Os efeitos colaterais da dipirona podem variar desde alterações no sistema imunológico (choque anafilático, coceira, ardor, vermelhidao), gastrointestinais (associado à sangramentos), renais (piora da função renal em pacientes já com doenças renais crônicas), vasculares, pele e até no sangue”. No entanto, como já foi mencionado, os efeitos são considerados raros. A maior ameaça, por sua vez, é a utilização corriqueira, ou em largas doses. Se febre, dores ou outros sintomas forem recorrentes, procure um médico. Até porque, nesse contexto, a dipirona ou outros medicamentos podem mascarar a condição.

Superdosagem 

De acordo com os especialistas, tomar doses em excesso, também chamado de superdosagem, pode causar mal-estar, dor abdominal, cefaléia , vômitos muito intensos, bem como sintomas do sistema nervoso central como vertigem, sonolência, coma e até convulsões, em alguns casos com queda da pressão sanguínea por vezes progredindo para choque e arritmias cardíacas. “Todos esses sintomas podem acontecer em caso de superdosagem, mas são episódios raros”, completa o pediatra.

Algumas recomendações sobre a dipirona

  • Fique atento ao prazo de validade do medicamento, que no caso da dipirona é de 24 meses;
  • Mantenha o medicamento sempre dentro da própria embalagem e nunca descarte a bula¹ até terminar o tratamento;
  • Leia atentamente a bula¹ ou as instruções de consumo do medicamento; 
  • Ingira os comprimidos inteiros;
  • Evite o uso prolongado do medicamento;
  • Escolha um local protegido da luz e da umidade para armazenamento e longe do alcance de crianças. 

Para saber mais visite a página da Droga Raia

Fonte: Dr. Nelson Douglas Ejzenbaum, médico pediatra e neonatologista. É Membro da Sociedade Brasileira de Pediatria e Academia Americana de Pediatria; Dr. Thiago Piccirillo, clínico geral da Rede de Hospitais São Camilo (SP).

NOVALGINA® (dipirona monoidratada). Indicações: analgésico e antitérmico. MS: 1.8326.0351. O USO DO MEDICAMENTO PODE TRAZER ALGUNS RISCOS. Leia atentamente a bula. SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O MÉDICO DEVERÁ SER CONSULTADO. Abril 2022.  MAT-BR-2201504; 1 – Bula do medicamento.