Alergia, gripe ou resfriado? Conheça as principais diferenças entre eles

6 de junho, 2022

Com a chegada das baixas temperaturas, é comum que os espirros, a obstrução nasal e a coriza comecem a aparecer. E, junto a eles, surge aquela dúvida: afinal, estou com alergia, gripe ou resfriado?

Segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, é difícil diferenciar cada quadro por conta da semelhança dos sintomas, “principalmente nos lactentes e pré-escolares, quando a criança está ‘sempre gripada’ ou apresenta quadro ‘alérgico de repetição’”.

Contudo, é necessário estar atento para as características de cada uma delas para que seja feito o tratamento correto. A seguir, saiba mais sobre cada diagnóstico.

Leia também: Como preparar a casa para um inverno livre de alergias

Características da alergia, gripe e resfriado

Alergia respiratória (rinite)

A alergia respiratória, conhecida popularmente como “rinite”, é o quadro alérgico que mais afeta a população. Trata-se de uma resposta exagerada do sistema imunológico contra substâncias que entram em contato com o organismo por via respiratória.

O problema, segundo a Sociedade Brasileira de Pediatria, é causado por alérgenos como ácaros da poeira de casa, pelos de animais (cães e gatos), fungos e restos de baratas.

Além disso, a rinite ainda pode piorar com a exposição a agentes irritantes do ambiente como fumaça de cigarro, uso de produtos com cheiro forte, poluentes e as mudanças bruscas de temperatura.

Vale ressaltar que a alergia respiratória ainda pode levar a um quadro de asma, infecção no ouvido, sinusite, bronquite e pólipos nasais.

Sintomas da alergia:

  • Coriza;
  • Espirros constantes;
  • Nariz entupido;
  • Coceira no nariz, nos olhos, no céu da boca e na garganta;
  • Tosse;
  • Chiado no peito;
  • Dificuldade para respirar.

Gripe

A gripe, ou influenza, é o conjunto de sinais e sintomas típicos de uma infecção nas vias aéreas superiores. Com duração de cinco a sete dias, normalmente é causada por vírus de transmissão respiratória, por meio da fala, tosse, espirros e secreção nasal. Além do contato direto entre as mãos contaminadas e o nariz, a boca ou os olhos.

Sintomas da gripe:

  • Febre alta – acima dos 38º – e súbita;
  • Nariz entupido;
  • Dor de garganta;
  • Espirros;
  • Coriza;
  • Dor no corpo;
  • Calafrios;
  • Tosse;
  • Dor nas articulações;
  • Dor de cabeça;
  • Moleza;
  • Vômito e diarreia (mais comuns em crianças).

Resfriado

O resfriado é um tipo de infecção que acomete as vias aéreas superiores, especialmente nariz e garganta. Geralmente, é causado por um vírus comum, como o rinovírus. Além desse, existem mais de 200 vírus que podem causar resfriados.

Sintomas do resfriado:

  • Febre (geralmente, abaixo dos 38º);
  • Tosse;
  • Dor de garganta;
  • Congestão nasal;
  • Coriza;
  • Espirro;
  • Rouquidão;
  • Dores musculares e articulares;
  • Além disso, dor de cabeça;
  • Mal-estar.

Diferença entre alergia, gripe e resfriado

Como apontado anteriormente, as três condições apresentam sintomas comuns: coriza, espirro, tosse e secreção nasal.

Contudo, de acordo com o artigo¹ publicado pelo pneumologista Hisbello da Silva Campos, do Rio De Janeiro, o resfriado e a gripe são infecções virais do trato respiratório. Já a rinite é, em sua maior parte, é uma atopia respiratória, ou seja, uma predisposição alérgica hereditária.

Diagnóstico e tratamento

Ainda de acordo com a publicação de Campos, na maioria das vezes, o diagnóstico dos três quadros é clínico.

“A diferenciação entre essas alterações deve levar em consideração dados como época do ano, antecedentes familiares alérgicos, frequência dos episódios sintomáticos, desencadeantes de sintomas, sintomas gerais, uso habitual de vasoconstritores nasais, dentre outros”, ressalta.

Para a gripe e resfriado, o tratamento é puramente sintomático – ou seja, trata-se apenas os sintomas – e não há indicação de antibiótico.

Já no caso da alergia, recomenda-se fazer uma hidratação generosa além do tratamento sintomático durante os cinco dias iniciais. “Se os sintomas persistirem ou ficarem mais intensos após esse prazo, casos moderados podem ser tratados apenas com corticosteroides nasais”, aponta o pneumologista.

Fontes:

Hisbello da Silva Campos, médico do Instituto Fernandes Figueira e mestre e doutor em Pneumologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

Rede D’Or – Hospital São Luiz

Sociedade Brasileira de Pediatria

Referências:

[¹] Campos, Hisbello S; Universidade Federal do Rio de Janeiro. BR. Gripe ou resfriado? Sinusite ou rinite?