Dieta sem feijão aumenta risco de obesidade em 20%

Alimentação Bem-estar
15 de Fevereiro, 2023
Dieta sem feijão aumenta risco de obesidade em 20%

O clássico feijão cozido faz parte do cardápio diário de muitos brasileiros. Além de delicioso, o alimento pode trazer inúmeras vantagens para a nossa saúde: uma dieta sem feijão, por exemplo, está associada ao ganho de peso. Foi o que apontou uma nova pesquisa da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

O estudo, conduzido pela Faculdade de Medicina da Universidade, descobriu que pessoas que não têm o costume de consumir a leguminosa apresentam um risco 10% maior de desenvolver sobrepeso, além de 20% mais chances de apresentar obesidade.

Por outro lado, a ingestão regular do ingrediente (isto é, cinco ou mais vezes na semana) mostrou-se um fator de proteção contra os mesmos problemas, reduzindo o risco de sobrepeso em 14%, e de obesidade em 15%.

Dieta sem feijão e risco de obesidade: como funcionou o estudo

Para chegar aos resultados, os pesquisadores usaram dados do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel). Entre 2009 e 2019 (ou seja, por 10 anos), mais de 500 mil adultos foram acompanhados.

Então, os cientistas dividiram os voluntários em grupos:

  • Não consumo: 0 dias por semana;
  • Baixo consumo: 1 a 2 dias por semana;
  • Consumo moderado: 3 a 4 dias por semana;
  • Consumo regular: 5 a 7 dias por semana.

Assim, a ingestão regular de feijão esteve mais associada a um bom estado nutricional.

Contudo, a pesquisa também revelou uma informação preocupante: cada vez menos brasileiros comem o alimento de forma frequente – e a tendência é que o costume diminua ainda mais.

A maioria das mulheres, por exemplo, já não ingere feijão regularmente desde 2022. Para os homens, a estimativa é que grande parte deles também entre nesse grupo em 2029.

Leia também: O que é colesterol, qual a sua importância e cuidados

Benefícios do feijão

Fonte de fibras e proteínas vegetais, o feijão é uma ótima opção para colocar no prato. Há uma grande variedade de tipos: preto, carioca, jalo, branco, rajado, vermelho, fradinho, de corda… Cada um carrega características diferentes de textura e sabor, o que nos permite criar muitos pratos. Confira mais algumas vantagens da leguminosa:

  • Melhora da saúde intestinal: graças às fibras, que contribuem para o trânsito do sistema digestivo e para a qualidade da microbiota;
  • Controle do colesterol: as fibras presentes no alimento se fixam nas moléculas de gordura (como o próprio colesterol) e contribuem para diminuir a sua absorção;
  • Mais saciedade: e sem calorias elevadas ou picos glicêmicos, o que pode beneficiar quem busca o emagrecimento;
  • Grande aporte de nutrientes para o corpo (como cálcio, ferro e zinco): pode, portanto, ajudar a prevenir e controlar condições como a anemia;
  • Reforço na imunidade: seja porque é uma fonte de zinco ou também equilibra a microbiota intestinal.

Descubra seu peso ideal. É grátis! Saiba se seu peso atual e sua meta de peso são saudáveis com Tecnonutri.
cm Ex. 163 kg Ex. 78,6

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Suplementos de ômega-3
Alimentação Bem-estar

Suplementos de ômega-3 não ajudam a ganhar massa muscular

Pesquisadores concluíram que suplementos não promovem efeitos no ganho de massa muscular e de força

lesões no beach tennis
Bem-estar Movimento

Lesões no beach tennis: joelho e ombro são as mais comuns. Veja como evitar

Assim como em outras atividades, também há risco de lesões no Beach Tennis. Portanto, veja dicas de como evitar lesões como epicondilite lateral.

fasting mimicking
Alimentação Bem-estar

Diet Fasting Mimicking: o que é o método que imita jejum?

A metodologia restringe calorias por um período de tempo determinado