Dieta de Okinawa: O que é, como fazer e benefícios

4 de setembro, 2019

A dieta mediterrânea recebeu muitos elogios em 2019, graças ao seu reconhecimento como o plano alimentar mais saudável do mundo. O fato de promover a longevidade é apoiado por muitos estudos e é um um plano relativamente fácil de seguir. Mas, pode ter surgido uma nova metodologia a altura do estilo de comer mediterrâneo. Conheça a dieta de Okinawa.

O que é

Originária de ilha de mesmo nome no Japão, a dieta de Okinawa é orientada pelas plantas, com a maioria dos nutrientes (incluindo carboidratos) provenientes de legumes, verduras e frutas disponíveis na região. Apenas 1% do cardápio é composto por peixe, menos de 1% composto por carnes magras e menos de 1% por leites, derivados e ovos.

A dieta que a população da ilha costuma seguir tem sido tema de estudo em diferentes partes do mundo. O motivo de tanta atenção é que foi constatado que as pessoas que vivem por lá têm uma expectativa de vida acima da média  – 100 anos, em comparação com o resto do Japão, com 84. Também, o número de vítimas de doenças do coração chega a ser 12 vezes menor em comparação a outros locais do planeta. 

A batata doce é a grande protagonista nos pratos e está presente em boa parte das refeições. Já o melão amargo, ou “goya”, é considerado a fruta mais característica da gastronomia local e uma das mais saudáveis, com propriedades que foram estudadas em pesquisas sobre câncer, diabetes e sistema cardiovascular.

As vitaminas, minerais e antioxidantes presentes nas frutas, legumes e verduras variados é que promoverão uma vida mais longa (e saudável). A dieta também é conhecida por ser rica em vegetais amarelos e alaranjados, fontes comuns de carotenóides, nutrientes que ajudam a reduzir a inflamação, protegem a saúde ocular e aumentam a imunidade. 

Apesar de rica em vegetais, essa não é uma dieta vegetariana – ela apenas propõe uma redução no consumo de carne vermelha. A proteína vem de pequenas quantidades de peixe, carne de porco ocasionalmente e, principalmente de legumes e tubérculos. A soja também é um grande componente desse plano alimentar.

Diferente de dietas low carb como a keto, ela permite quantidades razoáveis ​​de carboidratos saudáveis, como frutas e vegetais. Sua descrição envolve uma proporção de 10: 1 de carboidratos por proteína, que pesquisadores descobriram consistentemente que é quase idêntica à proporção ideal de carboidratos e proteínas para a longevidade em ratos e outros animais.

Leia também: Dieta low carb: O que é, como fazer e cardápio

Porém, se você gosta de arroz e macarrão, a dieta de Okinawa pode não ser a mais indicada, pois libera um consumo muito baixo de carboidratos refinados, como pão, massas e doces.

Benefícios

Qualquer plano alimentar que exclua açúcar, carboidratos processados ​​e alimentos fritos ou industrializados pode otimizar a saúde e a longevidade. Porém, segundo pesquisa publicada no Journal of American College of Nutrition, a dieta de Okinawa tem benefícios para saúde comprovados, pois é anti-inflamatória, antioxidante e reduz assim o surgimento de doenças cardíacas e até alguns tipos de cânceres, como o de cólon, próstata e mama, além de deixar pele, cabelos e unhas mais saudáveis.

Leia também: Ranking: As melhores dietas para seguir em 2019

Descubra se seu peso está saudável Em minutos, você saberá se seu peso atual é saudável, com a ajuda grátis da Vitat.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.