Dieta da fertilidade: Alimentos que ajudam a engravidar

23 de setembro, 2019

A dieta da fertilidade, criada em 2009 pelos pesquisadores Jorge Chavarro e Walter C. Willett, da Harvard Medical School, propõe uma reeducação alimentar. A ideia é substituir o consumo de carboidratos refinados e doces por leguminosas, frutas e carnes magras para dar um empurrãozinho para quem quer engravidar. 

Uma alimentação saudável influencia diretamente no bom funcionamento do organismo. No caso das mulheres, o hábito alimentar pode ser importante também na hora de aumentar a família, já que alguns ingredientes específicos ajudam o sistema reprodutivo.

O zinco, ômega 3, vitamina E, ácido fólico, licopeno e ferro ajudam a preparar o corpo, melhoram a produção de hormônios, glóbulos vermelhos, possuem ação antioxidante e ainda equilibram as funções dos óvulos. 

O plano alimentar é promissor, desde que a mulher mantenha hábitos saudáveis, evite cigarro e bebidas alcoólicas. 

A ingestão de ingredientes específicos ainda contribui para diminuir a fadiga, controlar o sono e melhorar o humor. 

Alimentos permitidos na dieta da fertilidade

  • Inclua de 3 a 5 porções de frutas e hortaliças na rotina, e substitua carboidratos por integrais;
  • Carne bovina e peixes (salmão, atum, sardinhas, anchovas);
  • Gérmen de trigo, linhaça, oleaginosas (castanhas, nozes, amêndoas, semente de abóbora, macadâmia), grãos integrais, óleos vegetais, grão de soja;
  • Feijão, azeite, leite;
  • Caqui, melancia, tomate, pitanga, morango e goiaba;
  • Vegetais verdes escuros e leguminosas, couve, agrião, azeitonas.

Alimentos para evitar

Industrializados e congelados, como hambúrguer, batata, pizzas e tortas, são ricos em sódio e possuem baixo índice de vitaminas, antioxidantes e minerais. 

Também é preciso evitar sal em excesso para que não haja retenção de líquido e toxinas acumuladas. 

O café não é proibido na dieta, mas deve ser consumido com cautela. A cafeína prejudica a capacidade do organismo de absorver ferro e cálcio.

Pão, macarrão e bolachas de farinha de trigo, conhecidos como carboidratos refinados, também requerem moderação por conta do fitoesterol – um tipo de hormônio vegetal que pode interferir no estrógeno, hormônio feminino da ovulação.

Leia também: O que são carboidratos refinados

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.