Como temperar carne? Colocar limão reduz a gordura?

Alimentação Bem-estar Casa
14 de Março, 2022
Como temperar carne? Colocar limão reduz a gordura?

A carne vermelha é uma ótima fonte de proteína. Rica em ferro e vitamina B12, ela faz parte do prato de grande parte dos brasileiros. Entretanto, apesar dos benefícios, a carne vermelha é bastante gordurosa e, quando consumida em excesso, pode acarretar doenças cardiovasculares, obesidade e câncer. Por isso, escolher opções mais magras (como o patinho ou o filé mignon), além de saber como temperar a carne da maneira correta, é essencial.

Você já deve ter escutado que temperar a carne vermelha com limão ajuda a diminuir a gordura. A nutricionista e chef de cozinha Pâmela Archibusacci Sarkis desmente tal afirmação. “Na verdade, o limão, quando usado no tempero, amacia a carne, mas se marinar por muito tempo, pode deixar a carne dura. Isso porque a acidez faz a carne perder água e desidratar”, diz.

A fim de manter o sabor e a suculência da carne, a especialista recomenda investir em temperos como sal, pimenta-do-reino preta, alecrim, tomilho e sálvia. Além disso, no caso de carnes vermelhas cozidas, é interessante adicionar um pouco de vinho tinto seco. Já para as carnes brancas, o vinho branco é mais adequado.

Como temperar carne

Primeiramente, o local no qual será realizada a preparação do alimento deve estar higienizado e sem lixo por perto. Além disso, é importante que todos os ingredientes já estejam separados, e os temperos, como as ervas frescas, estejam devidamente lavados.

“O alimento a ser temperado já deve ter sido previamente preparado. No caso das carnes, devem estar limpas, sem gordura aparente, sem nervos, ossos e entranhas”, explica Pâmela.

A nutricionista ainda indica os passos que devem ser seguidos no momento de preparar a proteína. “A carne vermelha de grelhar deve ser temperada na hora e ir para a panela já quente, com um pouco de gordura, para primeiro selar e depois cozinhar de acordo com o ponto a ser servido”, aponta.

Leia também: Carne vermelha ou branca: qual a melhor opção para a saúde?

O que evitar

De acordo com a especialista, o glutamato monossódico e ervas com limão não são boas opções para temperar a carne vermelha. “O glutamato é um realçador de sabor, então ele pode roubar um pouco do sabor real e natural. Já as ervas com limão podem desnaturar as fibras da carne”, esclarece.

Além da questão envolvendo o tempero do alimento, a quantidade de carne vermelha consumida em cada refeição também deve ser observada. O Ministério da Saúde recomenda a ingestão de 300g a 500g de carne vermelha por semana — cerca de 70g por dia, o equivalente a um pedaço pequeno de bife.

Já as carnes processadas, como salsicha, salame, bacon e nuggets, devem ser evitadas ao máximo. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), cada porção diária de 50g de carne processada aumenta o risco de câncer colorretal em 18%.

Como montar o prato

O ideal é que exista um equilíbrio no prato. Os macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídios), por exemplo, devem ser consumidos nas quantidades necessárias — nem mais, nem menos. A composição mais indicada é: 25% de proteínas, 25% de carboidratos e 50% de vegetais crus e cozidos.

Entretanto, para uma dieta personalizada, o recomendado é consultar um nutricionista, que irá montar um plano alimentar condizente com o objetivo do indivíduo.

Fonte: Pâmela Archibusacci Sarkis, nutricionista e chef de cozinha.

Leia também:

poke é saudável
Alimentação Bem-estar

Poke é saudável? Veja dicas na hora de consumir

Veja dicas de alimentos que não vão interferir no seu objetivo, seja emagrecer ou ganhar massa magra

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma

tempo em frente às telas
Alimentação Bem-estar Equilíbrio Saúde

Maior tempo em frente às telas está associado à piora da dieta de adolescentes

Pesquisa brasileira avaliou dados de 1,2 mil adolescentes e constatou que a maioria gasta mais de 2 horas de tempo em frente as telas