Como limpar os ouvidos sem cotonetes?

1 de junho, 2022

Você com certeza já viu na internet que usar as hastes flexíveis só faz com que a cera de ouvido vá para o fundo, certo? Mesmo com esse alerta, o meio mais comum de tirar o excesso da cera usando esse item. Afinal, como limpar os ouvidos sem cotonetes

Ao contrário do que muitos pensam, o ouvido só deve ser limpo quando há excesso de cera. Dessa forma, as hastes flexíveis são as menos recomendadas para exercer essa função, pois tiram apenas uma camada superficial da cera e aglomeram o restante no fundo da região. 

Leia também: Dia Mundial Sem Tabaco: hábitos em casa para parar de fumar

Use um pano úmido 

Sabe quando você sai de um banho quentinho e a cera fica amolecida? Esse é um ótimo momento para limpar a região. Com os dedos, use um pano bem macio e úmido com água morna. Isso ajuda a limpar com mais delicadeza.

Como limpar os ouvidos sem cotonetes: óleo vegetal

Sim, não é só na cozinha que os óleos vegetais, como o azeite, podem ser usados! A ideia de limpar o ouvido com o ingrediente parece estranha? Mas ela funciona. Basta pingar duas ou três gotas de azeite nos ouvidos. Ele ajuda a soltar as ceras e facilita bastante a saída do ouvido. Entretanto, faça essa técnica por dois dias e dê uma pausa de uma semana. 

Irrigação

Para fazer a irrigação, é preciso de um pouco de prática. Isso porque é preciso inserir água morna no ouvido com a ajuda de uma seringa de bulbo. Vire a cabeça de forma com que o ouvido fique para cima e aplique. A água deve ficar no ouvido por um minuto, depois é preciso virar para que a água escorra. 

Como limpar os ouvidos sem cotonetes: dicas úteis 

Os ouvidos são sensíveis, por isso, não introduza nenhum tipo de objeto como canetas, palitos ou até mesmo as unhas para coçar, pois, podem acabar machucando a região, causando problemas de audição. Além das dicas, existem empresas que fazem a limpeza do ouvido sem o uso das hastes, com produtos específicos e que não agridem. 

Por fim, se o ouvido apresentar lesões, busque por um pronto atendimento ou procure um otorrinolaringologista.

Sobre o autor

Gabriela Ferreira
Gabriela Ferreira
Jornalista e Repórter da Vitat.