Catapora na gravidez: riscos, sintomas e como se proteger

24 de março, 2022

Os riscos da catapora na gravidez variam de acordo com a idade gestacional. Quando a mulher é infectada logo nas primeiras semanas, a chance de transmitir o vírus para o bebê é baixa. Entretanto, a doença pode interferir diretamente no  desenvolvimento, como má-formação de pernas, braços e até no cérebro.

Outro período crítico são os dias que antecedem o parto. Baixo peso, alterações de visão e lesões na pele são algumas das complicações que podem surgir quando a catapora atinge a gravidez na reta final. Há ainda a possibilidade da criança pegar da mãe ao nascer, quase sempre uma situação que exige internação e acompanhamento médico.

Antes de mais nada, a catapora, ou varicela, é uma infecção causada pelo vírus varicela-zóster e marcada por bolhinhas vermelhas que coçam e se espalham pelo corpo. Essa doença é mais comum em crianças, sendo que que um adulto, inclusive a gestante, que não foi vacinado e nunca teve a doença entrar em contato com o vírus, ele poderá desenvolver a condição.

Sintomas de catapora na gravidez

Os primeiros sinais são as manchas vermelhas que coçam bastante, elas começam no rosto e se espalham rapidamente. Este é um momento de alerta, a gestante deve entrar em contato com o obstetra para seguir as recomendações e evitar desidratação ou as complicações que afetam o bebê.

Dor de cabeça, febre, vômitos e diarreia também podem surgir com a doença. Além do banho frio para baixar a temperatura, em alguns casos, há indicação de imunoglobina anti-varicela zoster.

Como evitar 

Por fim, a melhor forma de prevenir a catapora na gravidez é a vacinação. Mas, isso só pode acontecer antes de engravidar. Assim, caso a mãe não esteja imunizada, a única forma de evitar a infecção é não ter contato com pessoas doentes.  

Leia também: Banho de sol durante a gravidez: entenda a importância

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.