Posso beber depois de tomar a vacina de Covid-19?

Saúde
19 de Janeiro, 2022
Posso beber depois de tomar a vacina de Covid-19?

Desde que iniciou-se a vacinação contra o coronavírus, o que não faltaram foram dúvidas sobre os imunizantes. Uma das mais comuns é se podemos ou não beber depois de tomar a vacina da Covid-19. Para se ter ideia, o assunto foi tão falado que ganhou o título de mais pesquisado na internet, de acordo com um um levantamento realizado pelo Google Brasil.

Segundo a plataforma, a pergunta “pode beber depois da vacina?” foi a mais pesquisada nos últimos 12 meses. Os estados que mais procuraram respostas para a questão foram Sergipe, Paraíba, Pernambuco, Espírito Santo e Rio Grande do Norte. O interesse na questão foi tanto, que a frase foi 36% mais pesquisada que a segunda dúvida mais popular sobre o imunizante, “qual a melhor vacina?”. Confira agora a opinião de especialistas sobre o assunto.

Leia também: O que comer antes e depois de tomar a vacina de Covid-19

Beber depois de tomar a vacina: o que dizem os especialistas

Os estudos a respeito da doença, apesar de já terem avançado muito desde que ela surgiu, descobrem informações novas com frequência. Desse modo, em alguns pontos, ainda não é possível bater o martelo.

Mas de acordo com a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), “não há evidências de que o consumo de álcool interfira na eficácia das vacinas Covid-19. A vacinação é considerada uma importante oportunidade para incentivar comportamentos positivos em relação à saúde da população.”

Indo no mesmo sentido, a própria Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) também assegura que a necessidade de parar de beber por até 20 dias antes ou depois de qualquer uma das doses não passa de um mito. “Não há nenhuma relação comprovada entre o uso de álcool e eficácia ou risco das vacinas”, concorda o epidemiologista José Geraldo, de São Paulo.

Poréns

Contudo, é sempre válido lembrar que as instituições e os profissionais falam que não há problema em beber depois de tomar a vacina. Porém, a recomendação é válida quando se trata do uso moderado do álcool. “Apesar da recomendação de cortar a substância não ter respaldo científico, essa resposta não deve incentivar, de maneira alguma, uma pessoa a abusar do líquido”, alerta o epidemiologista.

Afinal, você quer que seu corpo esteja em sua melhor condição para receber a vacina, não é mesmo? Em um artigo publicado na revista Alcohol Research, inclusive, pesquisadores observaram que existe uma relação entre a ingestão excessiva de álcool (principalmente em quem já tem doenças hepáticas) e uma resposta imunológica enfraquecida.

Além disso, existem outros motivos sólidos para não exagerarmos na bebida logo antes e depois da imunização. Embora algumas pessoas tenham efeitos colaterais mínimos, a bebida pode causar desidratação e confusões quanto aos possíveis sintomas ou à ressaca — como dores de cabeça e fadiga. “É importante ressaltar que o uso crônico e abusivo de álcool pode enfraquecer o sistema imunológico e aumentar o risco de infecções por vírus e bactérias. Além disso, pode trazer diversos outros prejuízos à saúde e à vida”, afirma a SBIm.

Sobre o autor

Amanda Panteri
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em alimentação saudável.

Leia também:

mulher com as mãos na barriga
Saúde

Vaginismo afeta o bem-estar e pode ter causas emocionais

O vaginismo é um tipo de dor que acontece durante a penetração. As causas normalmente englobam aspectos psicológicos, e problema atrapalha a vida sexual

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!