Banho de água doce depois do mar ajuda a manter saúde da pele

19 de janeiro, 2022

Com as altas temperaturas do verão, fica difícil não mergulhar quando se está na praia. No entanto, a água do mar pode alterar o microbioma da pele, de acordo com o dermatologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Isis Veronez Minami. Mas uma simples prática pode ajudar a manter a saúde da pele: o banho de água doce logo depois de entrar no mar.

A mudança tem impacto significativo na ampliação dos riscos de infecção – o que é especialmente válido quando o banho ocorre em águas impróprias. “Antes de entrar na água, é imprescindível verificar se o local está ou não apropriado para banho. Esse simples ato pode evitar diversos problemas para a saúde, por isso, vale recorrer às informações que órgãos fiscalizadores colocam à disposição e que classificam a qualidade de cada praia”, conta a dermatologista.

Além disso, Minami lembra da importância de tomar banho de água doce após o de mar – prática que vale também para o momento posterior ao banho de piscina. É preciso ainda realizar a hidratação da pele com produtos apropriados para manter a saúde do órgão e evitar infecções. “São hábitos simples, mas que fazem total diferença quando desejamos ter uma pele saudável”, diz.

Leia também: Benefícios do inverno para a pele: Saiba quais são eles

Além do banho de água doce, use protetor solar

Para evitar queimaduras, a médica destaca outro importante hábito: proteger a pele de forma adequada com protetor solar. “De forma geral, os protetores com FPS acima de 30 – quando usados adequadamente – já são suficientes para prevenir o câncer de pele. Como há diversas marcas e texturas no mercado, o ideal é consultar o dermatologista para saber qual o protetor mais indicado para cada tipo de pele”, esclarece a especialista.

Orelhas, pálpebras e lábios também merecem atenção especial e proteção. De acordo com a médica, essas áreas são comumente esquecidas pelas pessoas quando o assunto é proteção contra os raios solares. “No caso da boca, o produto deve ser específico para essa região. E deve-se observar com atenção o fator de proteção, pois muitos batons cosméticos têm FPS, mas não suficientes para prevenir o câncer de lábio”, atenta.

Fonte: Isis Veronez Minami, dermatologista do Hospital Edmundo Vasconcelos.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.