Atividades físicas devem ser inseridas na rotina desde a infância

Bem-estar Movimento
09 de Setembro, 2021
Atividades físicas devem ser inseridas na rotina desde a infância

Os benefícios da prática regular de exercícios são inúmeros. Por isso, a inserção das atividades físicas na rotina deve ser colocada em prática desde a infância.

No entanto, segundo estudos, cerca de 78% das crianças e 84% dos adolescentes brasileiros não fazem exercícios. E a Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que durante a pandemia, o cenário piorou ainda mais. Isso porque as pessoas estão passando mais tempo sentadas em frente ao computador, contribuindo para o sedentarismo.

Mas para combater o sedentarismo infantil, o estímulo à prática de atividades físicas na infância deve ser constante. “Exercitar-se melhora os componentes físicos (resistência muscular e cardiovascular, força, agilidade, coordenação e equilíbrio), fortalece o sistema imunológico e melhora o desenvolvimento psicológico. Além disso, evita doenças como diabetes, problemas cardíacos e obesidade”, descreve o bacharel em Educação Física, Nataniel Sobieski.

De acordo com o especialista, os exercícios são essenciais para o desenvolvimento das crianças. Assim, ajudam a torná-las mais proativas e focadas em suas atividades diárias. 

Tipos de atividades físicas na infância

Segundo a OMS, crianças de um a três anos de idade devem se exercitar diariamente por 180 minutos com brincadeiras, atividades recreativas, jogos, danças, corridas e movimentos aquáticos. 

Leia também: Exercícios de relaxamento para crianças: Dicas

Dessa maneira, os pequenos de três a cinco anos também necessitam realizar diariamente 180 minutos de exercícios físicos. Contudo, eles devem reservar metade desse tempo para atividades com intensidades mais elevadas. Como corridas, saltos sobre pequenos obstáculos, subidas e descidas em escorregadores, bicicleta ou natação. Já para as crianças acima de cinco anos, o indicado são 60 minutos de exercícios diários, com o foco no desenvolvimento físico, psicológico, técnico, tático e a introdução a esportes que a criança goste de praticar — para que haja o aprendizado das regras e das capacidades motoras exigidas para aquela modalidade.

A corrida pode ser um bom estímulo para iniciar

A corrida de rua pode ser uma ótima opção para as crianças e adolescentes. “Esse é um dos esportes que está mais presente no nosso DNA, pois os seres humanos sempre foram destaque pela habilidade de correr — seja distâncias mais curtas ou mais longas. Devemos estimular nossas crianças a correr sempre que possível, pois além de ser um esporte de fácil acesso e prático, a corrida de rua traz diversos benefícios para a saúde delas”, reforça Sobieski.

Leia também: Pilates kids: Os benefícios do exercício para crianças

Portanto, antes de calçar o tênis e colocar os pequenos para correr, pais e/ou responsáveis sempre devem checar o local em que as crianças praticarão a atividade. Afinal, é necessário estar atento para evitar lesões — já que elas estão em fase de crescimento e desenvolvimento. Nesse sentido, as provas de corrida se apresentam como um importante estímulo a essa prática de forma segura — especialmente pelo fato de que os trajetos são traçados por profissionais da área. Além disso, se tornam um incentivo para que a criança se prepare, tendo o potencial de motivação.

Fonte: Nataniel Sobieski, bacharel em Educação Física.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

poke é saudável
Alimentação Bem-estar

Poke é saudável? Veja dicas na hora de consumir

Veja dicas de alimentos que não vão interferir no seu objetivo, seja emagrecer ou ganhar massa magra

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma

tempo em frente às telas
Alimentação Bem-estar Equilíbrio Saúde

Maior tempo em frente às telas está associado à piora da dieta de adolescentes

Pesquisa brasileira avaliou dados de 1,2 mil adolescentes e constatou que a maioria gasta mais de 2 horas de tempo em frente as telas