Arrancar os cabelos pode ser sinal de tricotilomania

Beleza Bem-estar Saúde
04 de Abril, 2023
Arrancar os cabelos pode ser sinal de tricotilomania

Na reta final do Big Brother Brasil 2023, a médica Amanda Meirelles parece estar mais ansiosa no confinamento. No último domingo, Aline Wirley, participante do BBB, notou que o couro cabeludo de Amanda estava ferido após ela arrancar os cabelos sucessivamente. Em outro momento, Amanda revelou que, além dos cabelos, já chegou até mesmo a usar pinça para arrancar os pelos dos dois braços. 

Apesar de parecer um hábito inofensivo, puxar os fios de cabelo pode ser sinal de tricotilomania, uma desordem comportamental caracterizada pelo impulso incontrolável de arrancar pelos ou fios de cabelo. Continue lendo e entenda.

Veja também: Compulsão Alimentar no BBB: Equipe de Bruna Griphão faz alerta 

Hábito de arrancar os cabelos: Afinal, o que é tricotilomania?

De acordo com a médica dermatologista, Dra. Cintia Guedes, a tricotilomania está ligada fortemente à ansiedade e problemas emocionais. Muitas vezes, ela pode envolver rituais, selecionando fios específicos, optando por um número determinado de cabelos ou ainda um tipo específico de fio (grossos ou finos, mais claros ou escuros, mais ondulados ou mais lisos) para remover.

Além de arrancar com as próprias mãos, há também pessoas que utilizam até ferramentas, como pinças, como relatou a participante do BBB: “Geralmente são mulheres, que chegam no consultório do dermatologista se queixando de falhas no couro cabeludo. Algumas delas percebem os impulsos. Outros podem arrancar os fios de maneira automática, durante atividades rotineiras, como por exemplo enquanto assistem televisão. Dessa forma, as falhas aparecem sem que se perceba quando elas começaram”, argumenta.

Assim, a tricotilomania também pode causar uma série de outros problemas, como a falha capilar perceptível, vermelhidão e até infecções graves. “A condição também pode deixar cicatrizes, que podem exigir tratamentos profissionais”, afirma a médica.

Saúde mental e tricotilomania

Até o momento, ainda não há certeza sobre as causas da tricotilomania. Contudo, problemas de saúde mental podem influenciar fortemente no desenvolvimento desse transtorno, são eles:

  • Traumas na infância;
  • Depressão;
  • Transtorno obsessivo compulsivo;
  • Ansiedade;
  • Estresse.

Para a médica, ao desenvolver o transtorno, o paciente pode ter emoções negativas, mesmo que ele esteja ciente da compulsão. “Desta forma, podem surgir inúmeras emoções negativas como a frustração por não conseguir controlar os impulsos, vergonha, medo de ser descoberto, além da insatisfação com a aparência — acarretada pela falta de cabelos em determinadas áreas da cabeça”, explica a médica.

Assim, também pode ocorrer que pessoas que sofrem com a tricotilomania tenham também problemas com outros comportamentos repetitivos focados no corpo, como onicofagia (roer as unhas), dermatilomania (impulso de causar lesões na própria pele por razões não cosméticas) ou ainda transtornos como depressão.

Por fim, ao identificar o comportamento busque atendimento com um médico dermatologista e já comece a desviar a atenção do cabelo, evitando puxar os fios em situações de estresse e ansiedade. Além do médico dermatologista, responsável por fazer o diagnóstico, a Dra. Cintia enfatiza que o tratamento deve ser feito por meio do acolhimento do paciente com uma equipe multidisciplinar com psicólogo, psiquiatra e o próprio dermatologista. “No caso de falhas capilares, o dermatologista pode indicar suplementos, medicamentos ou tratamentos como microagulhamento, lasers e infusão de substâncias para estimular o crescimento dos fios”, finaliza.

Veja também: Tricotilomania: Saiba quais são os sintomas e tratamento

 

Fonte: Dra. Cintia Guedes, médica dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

profissional de saúde segurando um DIU no pós-parto
Gravidez e maternidade Saúde

DIU no pós-parto: como funciona, quando colocar e cuidados

Com alta eficácia, o DIU no pós-parto oferece uma solução prática para o planejamento familiar após uma gestação.

menina com ritmo circadiano saudável dormindo na cama durante as férias
Bem-estar Gravidez e maternidade

Férias escolares: como manter um ritmo circadiano saudável?

Manter um ritmo circadiano saudável por meio de uma rotina consistente é fundamental para o bem-estar físico e mental.

Como manter a saúde digestiva no inverno?
Saúde

Como manter a saúde digestiva no inverno? 7 dicas para os meses mais frios

Confira sugestões compartilhadas por gastrocirurgião e nutricionista de como garantir o bom funcionamento do aparelho digestivo nos meses mais frios do ano