Arnica: Saiba mais sobre a poderosa planta medicinal

9 de março, 2020

A arnica é uma planta medicinal de forte efeito anti-inflamatório, por isso, tem sido usada na indústria farmacêutica há anos. Seu nome origina-se do grego e significa “pele de cordeiro”, aludindo à suavidade e delicadeza da planta. Ainda, é também conhecida por outros nomes, como erva-forte e vara-de-ouro. 

Propriedades da arnica

Em princípio, a planta é poderosa contra inflamações. Mas, suas propriedades não se resumem a isto. Ela possui efeito analgésico e cicatrizante, o que a faz ser usada na composição de pomadas e cremes com finalidade de cicatrização. Não só, é rica em flavonoides, um poderoso antioxidante. 

Leia mais: 7 alimentos anti-inflamatórios que você deve ter sempre à mão

Benefícios da arnica

Alívio de dores

Graças às propriedades poderosas e ação regeneradora, a arnica é excelente para o alívio de diversas dores. Por isso, pode ser utilizada como aliada da recuperação muscular posterior a exercícios físicos.

Leia mais: Óleos essenciais para combater dores de cabeça

Sem mais roxos

Ainda, ela não apenas alivia dores, mas também ajuda na cicatrização de machucados. Dessa forma, devido à presença de quercetina em sua composição, a planta atua para amenizar os roxos que surgem depois de, por exemplo, uma queda ou procedimento estético.

Combate a artrite

Basicamente, a artrite consiste em dores nas articulações, mais conhecidas como as “juntas” entre os ossos. Nesse sentido, a arnica ajuda a combater essas dores, que são mais comuns em pessoas de mais idade.

Como consumir a arnica

  • Infusão das folhas secas;
  • Pomada;
  • Tintura – folhas secas em álcool;
  • Remédios homeopáticos. 

Possíveis efeitos colaterais 

Os efeitos colaterais mais comuns da arnica quando usada na forma tópica são alergia na pele, inchaço ou dermatite. Além disso, não é recomendada a sua ingestão, em forma de chá, por exemplo, pois pode ter reação alucinógena, causar vertigens, problemas digestivos, como dificuldade na digestão e gastrite, e complicações cardíacas, como arritmia, hipertensão arterial, fraqueza muscular, colapso, náusea e vômito.

Leia também: Guaco: Benefícios da planta medicinal

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo