Porque você deve se preocupar com os antibióticos na comida

22 de novembro, 2019

Você sabia que algumas das suas comidas favoritas podem conter doses de antibióticos? Pois é. É chocante, mas é verdade.

A World Health Organization e a Centers for Disease Control and Prevention, ambas reconhecem a presença de antibióticos na comida nos Estados Unidos, especialmente na carne vermelha processada. 

Além disso, essas organizações acreditam que a presença desses medicamentos na comida está relacionada com o aumento de infecções resistentes a antibióticos. Essas infecções estão aumento progressivamente anos após ano.

Também, tais infecções são atualmente um dos maiores – senão o maior – problema de saúde pública enfrentado ao redor de todo o mundo. Médicos alertam: devido à presença desses remédios nos alimentos, até mesmo infecções simples, como a infecção urinária e pneumonia, podem ser fatais. Afinal, o tratamento é dificultado.

Antibióticos em produtos de origem animal

Aproximadamente 70% dos antibióticos são vendidos para uso em animais. É muito comum, na grande produção agropecuária, utilizar esses medicamentos na água e alimentação dos bichos para abate.

Ao usar esses remédios nos animais, muitas bactérias nocivas são mortas, porém, também permite que outras bactérias ganhem resistência, sobrevivam e se multipliquem.

Então, quando a carne desses animais é ingerida por um ser humano, essas bactérias resistentes adentram o intestino e alteram um sistema, até então, saudável.

Leia também: Como os alimentos processados afetam o coração

Como reduzir esses riscos?

Em princípio, mudanças no sistema de produção de comida devem ocorrer. Desse modo, diminui-se o risco de criar e espalhar doenças bacterianas resistentes a remédios.

Recentemente, cientistas recomendaram aos produtores da agropecuária de apenas medicar os animas quando houver um quadro de doença. Se não houver real necessidade de ministrar uma medicação, pede-se que antibióticos não sejam utilizados.

Individualmente, outro caminho é fazer melhores escolhas na hora de comer. Por exemplo, grandes companhias de fast food são aquelas cujos produtos contêm os maiores níveis de antibióticos. Isso se deve ao fato de a carne desses restaurantes ser ultraprocessada. Evitar esses alimentos é o ideal.

Além disso, algumas outras possíveis ações são:

  • Comprar de produtores que não utilizam antibióticos;
  • Apoiar e consumir apenas de restaurantes que estejam escolhendo as melhores opções;
  • Manifestar sua preocupação sobre o assunto. Afinal, trata-se de uma questão de saúde publica

Leia também: As melhores proteínas para a saúde do coração


Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo