Alzheimer em animais: O que é, sintomas e tratamento

Saúde
02 de Dezembro, 2021
Alzheimer em animais: O que é, sintomas e tratamento

O mal de Alzheimer em animais é uma realidade assim como é para os humanos — principalmente quando os pets já estão em uma idade avançada.

Também conhecido como Síndrome da Disfunção Cognitiva (SDC), o Alzheimer é uma doença neurodegenerativa que provoca alterações significativas nas capacidades cognitivas no tecido nervoso dos animais.

Dessa forma, ele atua como um processo degenerativo do sistema nervoso animal, que pode acontecer de forma lenta e gradual no início. Assim, torna-se mais acelerado conforme o tempo e dependendo da genética e das condições de saúde do pet.

Causas do Alzheimer em animais

A causa do Alzheimer ainda é desconhecida. Porém, esse transtorno pode afetar animais idosos, como os cães, independentemente de qual seja a raça ou sexo.

Sabe-se que a doença ocorre porque o cérebro dos cães e dos gatos sofrem mudanças durante o processo de envelhecimento. Consequentemente, essas mudanças podem causar perda de memória e dificuldade de compreensão. Geralmente, o envelhecimento dos cães tem início por volta dos seus sete anos de idade. Contudo, é mais comum encontrar animais com demência senil a partir dos 12 anos.

Animais com mais idade também podem apresentar outros problemas como perda da visão e da audição, diminuição da energia e problemas com o sono.

“Por ser um tecido extremamente sensível aos radicais livres, estes são culpados pelo envelhecimento e pela morte dos neurônios em regiões do cérebro responsáveis pela execução de tarefas importantes. Assim, como o cérebro não consegue criar novos neurônios para substituir aqueles que foram danificados, não existe maneira de evitar o desgaste”, afirma a veterinária Livia Romeiro do Vet Quality Centro veterinário 24h.

Principais sintomas do Alzheimer em animais

Os sinais de Alzheimer em animais podem variar. Dependendo de cada caso, os animais podem apresentar sintomas clássicos ou apenas um destes sintomas.

Por isso, é extremamente importante que os tutores fiquem atentos às mudanças diárias de comportamento dos animais de estimação, principalmente quando eles estão em uma idade mais avançada, afirma Livia. Portanto, veja abaixo os principais sintomas:

Alzheimer em animais: Desorientação

Um animal estar repentinamente desorientado pode ser um dos primeiros sintomas da doença. Por exemplo, quando o pet começa a perambular pela casa e acaba tropeçando em tudo, como se o local fosse completamente estranho.

Além disso, o pet pode ficar bloqueado e não conseguir se mexer, uma vez que a desorientação pode se manifestar na quietude e no olhar fixo para um determinado lugar.

Leia também: Como animais de estimação melhoram a saúde do corpo e mente

Diminuição na capacidade de interagir

O animal com Alzheimer também pode apresentar comportamentos mais agressivos quando o pet está diante de outros animais ou seres humanos, como também pode acontecer de os pets não reconhecerem o próprio dono.

Essa agressividade é uma forma que o animal tem para se defender, mesmo em um local onde o seu cheiro é predominante. A apatia também pode surgir na falta de interesse em receber carinho ou brincar.

Alteração no sono

Muitos tutores levam a dificuldade de dormir de um pet idoso como uma situação sem muita seriedade, o que resulta na falta de investigação e que pode ser muito prejudicial para o amigo de quatro patas.

Alzheimer, dores, desconfortos, perda de visão ou audição e ansiedade em cães podem ser alguns dos resultados das más noites de sono do animal.

Problemas para fazer as necessidades no local ideal

Mesmo que seja típico de animais idosos fazer as necessidades em locais impróprios, ainda é dever do tutor ficar atento.

O que pode diferenciar um pet idoso com Alzheimer de animais normais é a forma que ele está urinando e defecando. Os cães idosos costumam urinar em lugares indevidos porque não são capazes de segurar o xixi por muito tempo.

Já os animais com essa doença não sentem vontade de fazer xixi ou defecar, uma vez que o cérebro não é mais capaz de assimilar tal informação. Pets com Alzheimer podem fazer suas necessidades deitados, dormindo ou em momentos de brincadeira.

O que fazer nessas situações?

A primeira coisa a fazer é levar o pet até uma clínica veterinária e procurar um especialista em neurologia veterinária.

Com o devido acompanhamento profissional, o animal de estimação vai passar pela avaliação clínica e realizar exames laboratoriais para eliminar outros tipos de problema e ter maior precisão no diagnóstico.

Alguns medicamentos podem ser prescritos para melhorar o impulso de transmissão dos neurônios. 

Fonte: Livia Romeiro, veterinária do Vet Qualitya, Centro veterinário 24h.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

mulher tratando os cabelos do filho deitado em uma almofada
Gravidez e maternidade Saúde

Mitos e verdades sobre piolhos e como proteger seu filho

Dermatologistas orientam sobre a importância de evitar a automedicação. Os pais devem ficar atentos e avisar a escola caso a criança tenha piolhos ou lêndeas

imagem do apresentados de TV Fausto Silva, conhecido como Faustão
Saúde

Faustão passa por transplante de rim

Faustão foi internado e passou por um transplante de rim na última segunda-feira (26). Saiba mais o que diz o boletim médico