Como usar a alimentação intuitiva para emagrecer

Alimentação Bem-estar
20 de Agosto, 2019
Como usar a alimentação intuitiva para emagrecer

Pare de contar calorias e comece a sentir o seu estômago. Essa é a proposta da alimentação intuitiva (o intuitive eating), prática que propõe que as pessoas escutem o próprio corpo antes de dividir as refeições de três em três horas ao longo do dia. 

O método nasceu nos anos 1990 e conta com 10 conceitos principais. As terapeutas nutricionais Evelyn Tribole e Elyse Resch se dedicaram a desenvolver um tipo de dieta que livra as pessoas de planos alimentares fixos, o qual é descrito no livro “Intuitive Eating, 2nd Edition: A Revolutionary Program That Works”, em português, “Alimentação intuitiva, Segunda edição: Um Programa Revolucionário que Funciona”.

Leia também: Mindful Eating: O método que ensina a comer de forma consciente

Em resumo, alimentação intuitiva significa se libertar do ciclo de dieta e aprender a comer conscientemente e sem culpa. Não há contagem de calorias ou restrições a certos alimentos, mas há algumas diretrizes – 10 princípios- que compõem a filosofia central desse método.

Alimentação intuitiva emagrece? 

Para as criadoras do método, é importante entender que a alimentação intuitiva não é um plano de perda de peso, embora elas garantam que algumas mulheres emagrecem quando deixam para trás sua história insalubre com dieta e restrição alimentar.

Mesmo que a alimentação intuitiva pregue uma mentalidade de “coma o que você quer”, isso não significa que suas fundadoras não se importam com uma boa nutrição. Na verdade, um de seus “mandamentos” é fazer escolhas alimentares que respeitem a sua saúde, bem como o seu paladar.

Em outras palavras, comer intuitivamente ainda deve envolver mais frutas e verduras do que sorvete. Mas, ao mesmo tempo, uma dieta não precisa ser perfeita para ser saudável, e você não deve se culpar toda vez que fizer uma refeição ou uma opção menos regrada.

Como usar a alimentação intuitiva para emagrecer

Segundo as especialistas, quatro estratégias simples podem ser seguidas por quem busca perder peso com base no comer intuitivo. Elas até soam como “anti-dieta”, mas, segundo as autoras, esse é exatamente o ponto para emagrecer. Confira: 

Remova as distrações e desfrute das refeições com todos os seus sentidos

Pare de comer no piloto automático. Sente-se sem livros, sem TV, computadores, celular e sem nenhuma conversa séria para distraí-lo. Sem fazer julgamentos sobre isso, preste atenção em tudo que você come. Note como é o gosto, o cheiro, como você se sente enquanto saboreia cada mordida. Empregar todos os cinco sentidos, não apenas o sabor, quando você come é uma maneira fácil de ser mais consciente. Isso lhe dá mais prazer com sua comida, então você acaba ficando mais satisfeito. Olhe para as cores do seu prato e inspire o aroma. Ouça o chiar daquele fritar ou o crocante das cenouras. Aprecie a textura.

Coma apenas quando estiver com fome e pare quando estiver satisfeito

Ao iniciar sua abordagem intuitiva de emagrecimento, dê a si mesmo permissão incondicional para comer quando estiver com fome. Mas tenha certeza de que é fome mesmo, o tipo físico de estômago. Pergunte: ‘Por que estou com fome?’ Se você está entediado, triste ou se sentindo emotivo, não é comida que você está desejando. À medida que você aprende a confiar em seu corpo, aprende que ele, de fato, lhe dirá quando precisa de comida e quando não precisa. É difícil comer dessa maneira em um mundo com telas de TV em mesas de restaurante e aperitivos ilimitados. Mas nada disso é tão difícil quanto lutar contra seu corpo pelo resto de sua vida. 

Não rotule os alimentos

Geralmente, quem está de dieta costuma classificar os alimentos  “com culpa” e “sem culpa”. Parte do que o leva a comer sorvete ou batatas fritas em excesso é uma fixação ao fascínio dos “alimentos ruins”, aqueles que são proibidos em um suposto plano alimentar. Tente ver todos os alimentos como iguais. Isso requer prática, então lembre-se de sua nova mentalidade quando se perceber pensando que bolo é ruim e que uva é bom.

Desacelere

Em vez de “engolir” o jantar, sente-se à mesa enquanto come e faça a refeição durar pelo menos 20 minutos. Quando você vai devagar, é mais fácil ler os sinais de fome e saciedade do seu corpo. Precisa de provas? Em um estudo publicado no periódico americano Journal of American Dietetic Association, as mulheres consumiam menos, mas relataram sentir-se mais cheias quando repousavam o garfo entre as mordidas e mastigavam cada garfada de 20 a 30 vezes. 

Leia também: Emagrecer: Melhores alimentos para perder peso de vez

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

personal ajudando aluno a fazer o exercício crucifixo inclinado na academia
Bem-estar Movimento

Crucifixo inclinado: como fazer corretamente para evitar dores

A posição do banco no crucifixo inclinado faz com que o exercício enfatize bem os músculos do peitoral. Confira o passo a passo

criança nadando na piscina
Bem-estar Movimento

Crianças podem (e devem) fazer natação no inverno!

Prática deve ser contínua mesmo no frio, pois aumenta imunidade e o gasto calórico. Veja os benefícios da natação no inverno para as crianças!