Abdominal durante a gravidez: Será que é liberado?

De fato, manter-se ativa durante a gestação é essencial tanto para a saúde da mãe quanto do bebe. Isso porque os exercícios físicos reduzem as dores e incômodos, melhoram a circulação sanguínea, controlam o ganho de peso e ajudam a dormir – entre outros benefícios. Mas muitas mulheres têm dúvidas sobre quais exercícios são recomendados. Por exemplo, será que é possível fazer abdominal durante a gravidez?

Leia também: Grávida pode fazer agachamento? Entenda se é seguro

Fazer abdominal durante a gravidez é seguro?

Antes de mais nada, as mulheres precisam ter um acompanhamento médico durante toda a gravidez. Dessa maneira, assim como em qualquer outro exercício, as mamães só podem realizá-los com a liberação do especialista. Ainda, é importante ter o auxílio de um educador físico para praticar qualquer atividade física da maneira correta.

Com a liberação médica, o indicado é fazer abdominais apenas no início da gestação. Uma ótima opção é testar uma versão modificada do movimento, onde os joelhos ficam elevados.

Assim, você reduz as chances de desenvolver a diástase abdominal. Uma condição na qual os músculos abdominais se separam mais do que deveriam, ao mesmo tempo em que o útero se expande neles.

Existem riscos?

As mulheres grávidas devem ter cuidado ao fazer abdominais com levantamento de perna. Isso porque durante o movimento há mais pressão e eles puxam o abdômen, o que pode ser perigoso. Além disso, evite movimentos que envolvam contorções ou inclinação para trás. 

Dessa maneira, estar atento à respiração também é fundamental, para garantir que você e seu bebê recebam um fluxo constante de oxigênio.

Após o final do primeiro trimestre, é contraindicado realizar qualquer exercício enquanto você estiver deitada de costas. Nesse período, o útero dilatado pode comprimir a veia cava – veia que leva o sangue ao coração.

Leia também: Benefícios da prática de yoga para gestantes

Benefícios do abdominal durante a gravidez

  • Fortalecer o abdômen;
  • Aliviar as dores na coluna;
  • Melhora a postura;
  • Aumentar seu senso de controle durante o trabalho de parto;
  • Ajuda na recuperação pós-parto.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.