Termografia: exame não é indicado para detectar câncer de mama

Saúde
08 de Novembro, 2022
Termografia: exame não é indicado para detectar câncer de mama

A termografia é um exame que identifica em cores diferentes as regiões mais quentes do corpo. É útil no estudo da dor, doenças inflamatórias, neuropatias, doenças vasculares e em perícias médicas. O problema é que muitas mulheres têm utilizado esse tipo de exame para diagnosticar o câncer de mama, o que é um grande equívoco.

De fato, a presença de um tumor gera mais calor, já que há uma intensa circulação de sangue. No entanto, tumores muito pequenos nem sempre são visíveis pelo calor, ou seja, não aparecem na termografia. Dessa forma, apontam os especialistas, o ideal é que as mulheres realizem a mamografia, exame mais indicado para detectar o câncer de mama.

Em cidades brasileiras como Bragança Paulista, no interior de São Paulo, a termografia está sendo feita nos postos de saúde da prefeitura. Tem até mutirão com distribuição de folhetos e cartazes chamando as mulheres para o exame. Entenda os riscos

Leia mais: Hábitos saudáveis previnem câncer de mama em até 30%

Ministério da Saúde não recomenda termografia 

Conforme mencionamos, a termografia não identifica o câncer de mama. No entanto, a realização do exame tem levado muitas mulheres a uma falsa sensação de segurança, como se estivessem em dia com a prevenção da doença.

De acordo com o Ministério da Saúde, o exame não é recomendado.  Dessa forma, eles se posicionam “contra o rastreamento do câncer de mama com termografia, seja isoladamente, seja em conjunto com a mamografia”. Para a Sociedade Brasileira de Mastologia, “a termografia não apresentou até o momento nenhum benefício adicional no rastreamento e diagnóstico do câncer de mama”.

Autoexame de mama também deve ser complemento

Em entrevista anterior à Vitat, o ginecologista Dr. Igor Padovesi, consultor do Minuto Saudável, afirmou que uma das atitudes tradicionais de prevenção da doença, que é o autoexame feito pela própria mulher, deixou de ser recomendado. Isso porque, sozinho, o autoexame de mama não é suficiente para diagnosticar o câncer de mama ou outras condições de saúde, sendo necessário outros tipos de testes.

“A prática do autoexame das mamas, ou seja, realizado pela própria mulher, não é mais recomendada pelas sociedades médicas como antigamente, por ser uma prática que, sozinha, não tem se mostrado eficaz em reduzir a mortalidade por câncer de mama”, aponta.

Mamografia é a melhor opção para diagnosticar o câncer de mama

De acordo com o Dr. Igor, a recomendação da Sociedade Brasileira de Mastologia (SBM) é de que mulheres a partir dos 40 anos de idade procurem o serviço de saúde para fazer uma mamografia anual. Além disso, recomendam que, até os 69 anos, elas façam o exame a cada dois anos.

“Estas recomendações valem mesmo para as mulheres que não apresentam qualquer sintoma. Isso porque o câncer de mama pode ser descoberto em estágio inicial, quando ainda não há qualquer sinal evidente”, afirma o ginecologista.

Referências: Sociedade Brasileira de Mastologia.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde

Leia também:

Por quanto tempo tomar glutamina
Alimentação Bem-estar Saúde

Por quanto tempo devo tomar glutamina?

Veja recomendações importantes sobre o consumo prolongado

Alimentação e hipertensão
Alimentação Bem-estar Saúde

Alimentação e hipertensão: o que priorizar e o que evitar?

O ideal é utilizar temperos naturais, como ervas e especiarias. Veja outras dicas

check-up ginecológico
Bem-estar Saúde

Check-up ginecológico: quais exames a mulher deve realizar anualmente?

A rotina de exames permite diagnóstico rápido para diversas doenças, ampliando as chances de um tratamento eficaz