Taxa de vacinação infantil volta a crescer pelo mundo, diz OMS

Saúde
19 de Julho, 2023
Taxa de vacinação infantil volta a crescer pelo mundo, diz OMS

Desde o início da pandemia de Covid-19, a taxa de vacinação caiu significativamente em todo o mundo, incluindo a infantil. Em 2021, estima-se que 24,4 milhões de crianças não receberam a vacina DTP, que previne difteria, tétano e coqueluche. Um relatório publicado ontem pela organização em conjunto com a UNICEF mostra uma leve melhora no cenário global. Em 2022, o número de crianças não vacinadas ou sem o esquema de imunização completo caiu para 20,5 milhões.

Veja também: Vacina da tuberculose previne formas graves da doença

Taxa de vacinação infantil precisa ser ainda maior

Apesar da boa reação nesse contexto, a Organização Mundial alerta que os números ainda não são satisfatórios. “A quantidade de crianças permanece maior comparada com 2019, quando fechou em 18,4 milhões. Portanto, os esforços devem ser contínuos para atualização, recuperação e fortalecimento do sistema”, diz um trecho do relatório oficial. 

Desafio é equilibrar o acesso regional

Os países de baixa renda ou em conflitos são os que mais sofrem com a taxa de vacinação infantil deficitária. De acordo com o material da OMS e da UNICEF, o aumento da adesão se concentrou em poucos países. Nações com grande população infantil —  Índia e Indonésia, por exemplo — apresentaram o declínio da imunização, “sobretudo da vacina contra o sarampo”, além de países mais pobres.

A vacinação contra o sarampo — um dos patógenos mais infecciosos — não se recuperou tão bem quanto outras vacinas, colocando mais 35,2 milhões de crianças em risco. A cobertura de primeira dose contra o sarampo aumentou para 83% em 2022, de 81% em 2021, mas permaneceu abaixo dos 86% alcançados em 2019″, alerta o documento.

Dentre os continentes com maior dificuldade de ampliação da cobertura vacinal estão a América do Sul e a África.

Vacinação contra o HPV surpreende

Uma boa notícia é que a taxa de vacinação infantil contra o HPV superou a adesão antes da pandemia: 67% em países de alta renda e 55% em países de baixa e média renda. Em contrapartida, a meta é atingir 90% para garantir a eficiência da proteção coletiva, visto que o HPV pode evoluir para enfermidades graves, como o câncer de colo do útero.

Taxa de vacinação no Brasil: qual a situação?

Em abril deste ano, a UNICEF publicou um relatório com o recorte de imunização no Brasil. Entre 2019 e 2021, 1,6 milhão de crianças não receberam nenhuma dose da DTP. O mesmo se aplica à vacina da poliomielite, uma doença erradicada no país, mas que as autoridades têm receio de retornar com o déficit vacinal.

O novo governo, iniciado em janeiro deste ano, colocou a pauta de vacinação como prioridade em todas as faixas etárias, incluindo as crianças. O Movimento Nacional pela Vacinação trouxe novamente a figura do Zé Gotinha, que ajudou na conscientização nos anos 1990.

Além disso, reuniu um time de celebridades e figuras influentes como embaixadores para encorajar a população a gabaritar a carteirinha de vacinas.

 

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

mulher com as mãos na barriga
Saúde

Vaginismo afeta o bem-estar e pode ter causas emocionais

O vaginismo é um tipo de dor que acontece durante a penetração. As causas normalmente englobam aspectos psicológicos, e problema atrapalha a vida sexual

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!