Tai chi chuan diminui o risco de demência

5 de dezembro, 2019

O Tai chi chuan é uma arte marcial chinesa que tem o objetivo de ajudar no relaxamento dos músculos, visando a agilidade. Assim, é considerado por muitos como uma arte de meditar em movimento.

Dessa maneira, a prática é uma ótima opção para relaxar e alcançar o equilíbrio. Além disso, um estudo publicado recentemente na revista especializada americana Clinical Interventions in Aging descobriu que essa atividade física também pode reduzir os riscos de demência.

Leia também: Quer evitar demência? Fique longe de gordura trans

A pesquisa foi feita com 85 idosos com demência que moravam em uma casa comunitária. Os pesquisadores escolheram 43 membros do grupo que realizassem suas atividades normais, enquanto os outros 42 acrescentaram tai chi chuan a rotina diária por 20 semanas.

Pessoas com essa doença têm duas vezes mais chances de se desequilibrar do que as que estão cognitivamente intactas. Sendo assim, após seis meses, os especialistas descobriram que o grupo que praticava tai chi chuan tinham menor probabilidade de cair do que os que não praticavam. Além da saúde física, a prática também melhorou a qualidade de vida das pessoas com demência.

Leia mais em: Malhar pode reduzir o risco de demência

Embora esse tipo de exercício possa ser mais adequado para o público mais velho, exercitar-se durante qualquer fase da vida diminui o risco de contrair demência. Sendo assim, começar o quanto antes é essencial.

Benefícios Tai Chi Chuan

A prática regular do Tai Chi Chuan pode trazer diversos benefícios para a saúde física e mental, veja alguns deles:

  • Diminui problemas articulares;
  • Aumenta a flexibilidade e força muscular;
  • Desenvolve a coordenação motora;
  • Melhora o equilíbrio;
  • Alivia o estresse;
  • Estimula a circulação sanguínea;
  • Contribui para a redução de sintomas da depressão.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.