Supercrescimento de bactérias: o que é, sintomas e tratamento

Saúde
19 de Julho, 2023
Supercrescimento de bactérias: o que é, sintomas e tratamento

Nosso intestino é praticamente um organismo à parte. O órgão possui a microbiota, um complexo sistema de micro-organismos que vivem em harmonia: bactérias, fungos, vírus… Embora pareça estranho pensar que bilhões de seres invisíveis vivem dentro de nós, eles são essenciais para a saúde. Em harmonia, eles melhoram a absorção de nutrientes, previnem infecções variadas e outros benefícios. Contudo, o desequilíbrio pode trazer prejuízos. Um dos problemas mais comuns ao intestino é o supercrescimento de bactérias (SIBO). 

Veja também: Hábitos que prejudicam a saúde do intestino

O que é o supercrescimento de bactérias?

Antes de falarmos sobre o supercrescimento, eis uma rápida explicação sobre o nosso intestino, importante para entender a dinâmica da condição.

O órgão se divide em duas partes: o grosso e o delgado. O intestino grosso, ou cólon, atua na absorção final de eletrólitos e água. Além disso, é onde as fezes se acumulam até o momento da evacuação e local de concentração dos micro-organismos.

Já o delgado dá continuidade à digestão dos alimentos pela proximidade do estômago. Por produzir líquidos ácidos nesse processo, não é um bom ambiente para a permanência dos micro-organismos. 

Quando surge o supercrescimento de bactérias, elas podem se instalar justamente no intestino delgado. Como resultado, a pessoa enfrenta diversos desconfortos abdominais. 

Por que isso acontece? 

Existem diversas razões para o supercrescimento de bactérias no intestino delgado. A seguir, confira os principais motivos que desregulam a população bacteriana:

Uso contínuo de alguns medicamentos: os antibióticos em excesso podem gerar o desequilíbrio na microbiota. Afinal, a ação do fármaco é combater as bactérias responsáveis por infecções, o que pode impactar as bactérias que fazem bem ao organismo. Com isso, pode ocorrer o desenvolvimento descontrolado de algumas espécies. 

Alteração na motilidade do intestino: a motilidade é nada mais que o movimento das paredes musculares do sistema gastrointestinal. Uma boa motilidade ajuda na digestão e na absorção dos nutrientes e no controle da microbiota. Caso contrário, pode favorecer o supercrescimento de bactérias.

Histórico de cirurgias: dependendo do procedimento, a consequência do pós-operatório pode influenciar a condição. Por exemplo, cirurgias do trato gastrointestinal, que afetam diretamente o ambiente dos micro-organismos. 

Deficiência da imunidade: nosso sistema imune tem o papel de evitar doenças e acelerar a recuperação de infecções. Contudo, se não está com as defesas em dia, pode não conseguir dar conta da alta proliferação de micro-organismos potencialmente nocivos à saúde. 

Doenças crônicas: diabetes, doença de Crohn, síndrome do intestino irritável e enfermidades específicas do trato gastrointestinal podem ser gatilho para o supercrescimento bacteriano. 

Sintomas do supercrescimento de bactérias

  • Diarreia ou prisão de ventre.
  • Desnutrição e anemia por causa da absorção inadequada dos nutrientes.
  • Queda na imunidade.
  • Gases e inchaço abdominal.
  • Dor, cólicas e desconforto abdominal.
  • Fadiga. 

Leia também: Quer um intestino saudável? Evite esses alimentos

Diagnóstico do SIBO

A princípio, o médico — geralmente um gastroenterologista — analisa os sintomas e o histórico do paciente: se fez uso de antibióticos por muito, se passou por uma cirurgia recente, se possui alguma doença crônica, entre outras questões. 

Para confirmar o SIBO, o médico pode solicitar uma endoscopia para coletar uma amostra de secreção do intestino delgado, a fim de analisá-lo. Outra maneira é aplicar um teste respiratório no paciente, que mede o nível de hidrogênio e metano da respiração. Estes dois elementos se encontram em excesso quando há uma supercrescimento de bactérias.

Além disso, raio-X, exames laboratoriais podem ser necessários para fechar o diagnóstico, dependendo da suspeita.

Como é o tratamento do crescimento de superbactérias?

Com a confirmação do distúrbio, o tratamento mais comum envolve antibióticos. No entanto, é importante identificar a causa da condição, pois os cuidados variam conforme a origem do quadro. Mudanças na alimentação, por exemplo, são importantes para reverter o problema. 

Reduzir o consumo de carboidratos e fibras são uma recomendação, pois são insumos para as bactérias se reproduzirem. Por isso, busque sempre um profissional de saúde para identificar e tratar o transtorno. 

Referências: MSD Manuals; Mayo Clinic; Cleveland Clinic; e Penn Medicine.

 

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!

5 hábitos saudáveis para enxaqueca
Saúde

5 hábitos saudáveis para enxaqueca

A enxaqueca é uma doença crônica que causa um tipo de dor de cabeça latejante