Síndrome da bexiga dolorosa: O que é, sintomas e tratamento

Saúde
16 de Dezembro, 2021
Síndrome da bexiga dolorosa: O que é, sintomas e tratamento

síndrome da bexiga dolorosa, também conhecida como Cistite Intersticial, é uma condição muito debilitante que chega a afetar de 15% a 20% das mulheres em todo o mundo. Assim, por definição, é uma dor crônica na parede da bexiga com duração de até seis meses.

De acordo com o urologista José Alexandre Araújo, coordenador da Urologia Feminina do Hospital Federal do Andaraí e da Oncologia Urológica do Hospital de Câncer Mário Kroeff, o diagnóstico acontede por exclusão. “Depois que a gente descarta infecção urinária, tuberculose da parte urinária ou qualquer tipo de tumor, a gente fecha em dor pélvica crônica”, diz.

Sintomas da síndrome da bexiga dolorosa

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. Mas geralmente, são:

  • Dor no que chamamos popularmente de “pé da barriga”, o hipogástrico, sempre relacionada à urina;
  • Urgência de urinar;
  • Dor no enchimento da bexiga, que geralmente diminui quando a paciente urina;
  • Dor antes, durante ou após a menstruação;
  • Diarreia ou constipação crônica;
  • Dor durante ato sexual.

Leia também: Diuréticos naturais: Frutas e vegetais que ajudam a desinchar

Tratamento

O especialista explica que não há um tratamento definitivo. “Tudo que se faz hoje em dia é ainda para tentar controlar e diminuir a dor. Portanto, os hábitos vão desde medidas comportamentais (quando você tenta investigar o principal motivo da dor), passando pela fisioterapia pélvica (que é importantíssima para o controle dessa sensação desagradável), chegando à medicação (com dipirona e paracetamol, anti-inflamatórios e derivados da morfina)”, afirma.

Dessa forma, ele também conta que tem crescido, no mundo todo, o uso do derivado da maconha, o canabidiol, para aliviar as dores. Contudo, quando já é necessário o uso de medicamentos controlados, o médico prefere levar o paciente para o Centro Cirúrgico. “A gente faz uma cistoscopia, olha a bexiga por dentro, distende essa bexiga com soro fisiológico sob anestesia e aí observa com uma câmera se teve ulceração. Quando tem, há a queima dessa ferida eletricamente, no mesmo processo realizado em casos de câncer de bexiga. Além disso, injetamos toxina botulínica ao longo de toda a bexiga, o que dá um resultado de seis a doze meses (depois disso, o processo precisa ser repetido). Esse é procedimento que está sendo muito usado e que apresenta bons resultados, apesar de temporários”, enfatiza. 

Fonte: José Alexandre Araújo, urologista e coordenador da Urologia Feminina do Hospital Federal do Andaraí e da Oncologia Urológica do Hospital de Câncer Mário Kroeff.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

mulher com as mãos na barriga
Saúde

Vaginismo afeta o bem-estar e pode ter causas emocionais

O vaginismo é um tipo de dor que acontece durante a penetração. As causas normalmente englobam aspectos psicológicos, e problema atrapalha a vida sexual

foto do ator Tony Ramos
Saúde

Hematoma subdural: entenda quadro de Tony Ramos

Tony Ramos passou por duas cirurgias após apresentar um hematoma subdural. Segundo boletim médico, ator já tem "melhora na evolução do quadro clínico"

corrida
Bem-estar Movimento Saúde

Como proteger garganta e ouvidos na corrida durante o inverno

É necessário tomar os devidos cuidados para proteger garganta e ouvidos durante a corrida no inverno. Saiba mais!