Salto alto: Conheça os perigos do uso constante

Beleza Bem-estar
08 de Março, 2022
Salto alto: Conheça os perigos do uso constante

Para quem gosta, usar um lindo salto alto e se sentir elegante é uma das melhores coisas, não é mesmo? No entanto, após horas com o calçado, é comum que surjam dores nos pés, nas pernas e nas costas, entre outros problemas. 

É fundamental entender que apesar da beleza, quando usado constantemente, este tipo de calçado pode apresentar perigo.

Uma pesquisa feita pela Pés Sem Dor, empresa de palmilhas ortopédicas, mostrou que mais de 95% das mulheres sentem dores nos pés de intensidade mediana, quando usam sapatos de salto alto.

Leia também: Reflexologia: saiba tudo sobre a técnica terapêutica

Perigos do salto alto

“O salto alto eleva o calcanhar, e coloca todo o peso do corpo sobre a ponta do pé e os dedos, gerando um desequilíbrio de distribuição de peso que provoca lesões nesta região. Além disso, essa postura de ponta de pé coloca estresse no tornozelo, joelhos e coluna, pois muda a posição dessas articulações.”, alerta Mateus Martinez, Diretor de Fisioterapia da Pés Sem Dor, pioneira do ramo das palmilhas e sapatos sob medida.

Dessa forma, o uso do calçado também pode causar problemas posturais, tendinites, joanetes, bolhas, calos e dores nos joelhos. E de acordo com a pesquisa “O salto alto e a mulher brasileira”, realizada pela Pés Sem Dor, 95,7% das mulheres sentem dores nos pés, quando usam sapatos de salto alto. A intensidade da dor mediana é 5 (moderado) em uma escala de 1 a 10. 25,3% das respondentes disseram que sentem dor intensa (7 a 10).

Dicas para usar salto com segurança

Se você ainda quer usar salto alto todos os dias, mas com segurança, veja algumas dicas que podem ajudar:

Palmilhas ortopédicas

Martinez revela que existem algumas recomendações que podem fazer com que as mulheres possam desfrutar do uso de um salto: usar palmilhas ortopédicas, massagear os pés ao final do dia, alternar o uso do salto com um calçado mais baixo e fazer alongamento e exercícios para o pé e panturrilha.

Modelo

Segundo o médico ortopedista, Dr. Bruno Takasaki Lee, quanto mais largo o salto, melhor. Isso porque ajuda a aumentar a estabilidade e prevenção de entorse. Além disso, quanto mais baixo o salto, para redução na biomecânica da marcha, melhor além do peso do corpo ficar mais distribuído no calçado.

Tempo de uso

Também é preciso estar atento ao período de tempo que o corpo permanecerá com o sapato. “Não é recomendável o uso de salto por muitas horas consecutivas, especialmente se for ficar em pé ou caminhando. Se você tem alguma ocasião em que o salto alto faz parte do vestuário, use apenas durante o evento. Assim, se você precisa usar salto no seu trabalho, use um calçado baixo e confortável quando estiver indo e voltando, e reserve o uso do salto para o tempo necessário”, diz Dr. Bruno.

O especialista ainda alerta aos riscos associados ao uso de salto alto. “Por diminuir a superfície de contato do pé com o chão, a pessoa está mais suscetível a sofrer entorses do tornozelo e joelho. E o aumento do peso no antepé, aumenta as lesões por sobrecarga nessa região. Pode haver também sobrecarga muscular das panturrilhas, coxas, joelhos e na região lombar”, avisa.

Para evitar esses efeitos adversos, a melhor forma é a prevenção com exercícios de fortalecimento dos grupos musculares envolvidos quando se usa o salto. “Fortalecimento e alongamento da musculatura dos membros inferiores são palavra de ordem além de cuidados com a região lombar e abdômen que ajudam a reduzir os efeitos lesivos da alteração crônica da biomecânica e centro de gravidade do corpo”, afirma o ortopedista.

Fontes: Mateus Martinez, Diretor de Fisioterapia da Pés Sem Dor, pioneira do ramo das palmilhas e sapatos sob medida; Dr. Bruno Takasaki Lee, médico ortopedista.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina