Gestantes e puérperas têm risco cinco vezes maior de desenvolver trombose

Gravidez e maternidade Saúde
06 de Março, 2024
Gestantes e puérperas têm risco cinco vezes maior de desenvolver trombose

Inchaço, sensação de calor nas pernas e vermelhidão indicam que algo não vai vem na circulação das pernas. Em especial, grávidas e puérperas devem se atentar aos sintomas para evitar o risco de trombose. 

Segundo a Associação Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular (SBACV), a incidência da doença nesse público é de cinco a seis vezes maior do que nas mulheres que não estão no período gestacional ou pós-parto. 

O cirurgião vascular e angiologista Fábio Rocha, explica que a trombose ocorre quando se formam trombos (coágulos) em veias e vasos sanguíneos que bloqueiam o fluxo de sangue e podem causar inchaço e dor na região. Se não tratada a tempo, a trombose pode evoluir para uma embolia.

Por que o risco de trombose é maior em grávidas e puérperas?

Durante o processo de gestação, a mulher sofre alterações hormonais para preparar o corpo para o crescimento e nascimento da criança. E algumas delas aumentam o risco de trombose.

“Na gestação, ocorre aumento do volume sanguíneo na mulher, alterações hormonais que interferem no funcionamento adequado das veias e também da coagulação sanguínea, e por fim, com o passar dos meses, o bebê vai crescendo, e com isto, comprimindo as veias de drenagem das pernas. Tais fatores combinados resultam em um risco significativamente aumentado de trombose venosa”, explica o cirurgião vascular. 

Sintomas e diagnóstico

Embora o inchaço seja uma característica comum na gestação, toda e qualquer mudança no padrão de vida da grávida merece atenção. Além desse sintoma, outros podem surgir como dor intensa no local, sensação de peso e cansaço nas pernas nos primeiros estágios, pele pálida, arroxeada e gelada, além da presença de varizes. 

Por isso, é importante procurar ajuda médica quando os primeiros sintomas surgirem. Assim, em caso de suspeita de embolia pulmonar, a grávida pode passar por exames como tomografia computadorizada (TC), angiografia pulmonar e outras análises clínicas.

O cirurgião vascular orienta que o tratamento escolhido varia de paciente para paciente, de acordo com o histórico de cada pessoa. “Pode ser feito uso de medicamentos anticoagulantes, inclusive no período de amamentação. Também é indicado o uso de meias compressivas e atividades físicas”, diz o médico.

Como prevenir trombose em grávidas e puérperas

O estilo de vida saudável é a principal forma de evitar a doença, tanto na gestação, quanto no puerpério. Portanto, manter-se bem hidratada, praticar atividade física de forma moderada e ter uma alimentação balanceada são algumas das medidas essenciais.

Assim, o médico reforça também a prática de, deitar com as pernas elevadas e fazer o acompanhamento com um cirurgião vascular ajudam a minimizar os riscos de trombose nessa fase da vida.

Veja também: Taping: conheça a técnica de contenção abdominal que ajuda na recuperação pós parto

Fonte: Fábio Rocha, cirurgião vascular e angiologista.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Ozempic e anticoncepcional
Saúde

Ozempic pode cortar o efeito do anticoncepcional? Médica explica

Nas redes sociais, não faltam relatos sobre o efeito do Ozempic no aumento da fertilidade

Chá de erva baleeira
Alimentação Bem-estar Saúde

Chá de erva baleeira emagrece? Veja benefícios e como fazer

A erva é eficaz em tratamentos de reumatismo, gota, dores musculares e até úlceras; saiba mais

mulher sentada na mesa da cozinha com remédios para gripe na sua frente
Saúde

Queda na temperatura exige cuidados com a saúde. Confira

Neste fim de semana, o frio vai estar presente em diversas capitais. Queda na temperatura pede alguns cuidados com a saúde respiratória