Responsabilidade afetiva: A importância nas relações humanas

22 de novembro, 2021

A responsabilidade afetiva diz respeito à honestidade e à transparência em uma relação. Isto é, significa se responsabilizar pela forma como você está transmitindo o que deseja, sem manipulação ou enganação.

Assim, responsabilidade afetiva nada mais é do que ter consideração tanto com seus próprios sentimentos e intenções quanto com os da outra pessoa. Além disso, desenvolver a capacidade de agir com clareza conforme esses sentimentos e intenções emergem.

Segundo a psicanalista Andrea Ladislau, esta habilidade emocional é importante em qualquer tipo de relação (amizade, trabalho, relações íntimas, familiares). Isso porque denota relações mais maduras, consistentes e respeitosas, onde cada parceiro é consciente de seu papel.

Leia também: Carência afetiva: O que é e como tratar

Como reconhecer a falta de responsabilidade afetiva

Reconhecer a falta de responsabilidade afetiva não é uma tarefa fácil. “Neste caso, devemos levar em conta que essa falta de responsabilidade afetiva se caracteriza quando a pessoa não respeita o espaço do outro. Não leva em consideração os sentimentos alheios. Age com individualidade considerando apenas seus desejos, vontades e crenças em determinadas situações. Não usa de sinceridade e apimenta situações com manipulação e mentiras” explica Andrea.

Ainda de acordo com a especialista, esse processo exige muito das pessoas envolvidas. “Porém, quem conquista essa maturidade torna todas as suas relações mais sadias, evolui e torna as experiências com o outro uma oportunidade de evolução e crescimento mental e emocional” ressalta. 

Diversos relacionamentos amorosos, por exemplo, terminam de formas difíceis por vários motivos que podem ser observados, questionados muito antes de chegar ao rompimento. “Pois, relacionamento afetivo não é só estar junto, vai mais além, precisa de elementos para se estabelecer e de muitos outros para se manter”, afirma Andrea.

Por isso, é fundamental entender esse conceito e a importância de ser transparente com os próprios sentimentos e com os do próximo.

Se coloque em primeiro lugar

A psicanalista diz o quanto é importante ter responsabilidade afetiva com você mesmo. 

“Evite se submeter de forma oprimida ao desejo do outro, tornando-se refém de um amor nada saudável, condicionando sua alegria ou tristeza à aproximação ou afastamento desse alguém. Dessa forma, se o relacionamento te afasta do seu bem-estar e te torna uma pessoa pior do que você realmente é, o melhor caminho é seguir em frente e se fortalecer, buscar ser feliz”, destaca Andrea.

“Quando temos essa consciência fica mais fácil perceber que sou responsável pelo que falo e faço, mas não pelo que o outro entende ou por suas ações. Somos seres distintos e só por isso, já precisamos compreender que cada um vai reagir às situações de uma forma, por este motivo devemos respeitar e sempre colocar a empatia na frente. Eliminando também a tendência mais cruel do ser humano: os julgamentos” enfatiza. 

Fonte: Andrea Ladislau, psicanalista.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Repórter