Carência afetiva: O que é e como tratar

Bem-estar Equilíbrio
21 de Setembro, 2020
Carência afetiva: O que é e como tratar

Sentir-se carente é natural do ser humano. Afinal, a maioria das pessoas gosta de receber carinho e atenção em qualquer relacionamento. Contudo, quando esse sentimento vira algo excessivo, pode significar uma séria disfunção psicológica: a carência afetiva.

Também conhecida como síndrome da carência afetiva, é caracterizada por uma extrema dependência emocional, em que a pessoa acredita que precisa de outra para se sentir feliz e amada. Além disso, também existe uma insatisfação consigo mesmo e um medo profundo de ser abandonado.

Sintomas

  • Submissão extrema às pessoas;
  • Medo de desagradar os outros;
  • Crença de que a felicidade está relacionada à outra pessoa;
  • Ciúme excessivo;
  • Não ter planos nem perspectiva para a própria vida;
  • Medo do abandono;
  • Sentimento de inferioridade;
  • Necessidade de ter atenção.

Como se desenvolve a carência afetiva

Geralmente, a síndrome da carência afetiva se desenvolve na infância, que é o período em que se estabelecem as relações primárias, especialmente com os familiares.

Dessa maneira, quando há uma ausência de estímulos afetivos durante a infância, o desenvolvimento emocional da criança sofre um bloqueio. Isso porque desde bebê é necessário ter um reconhecimento por meio de carícias, palavras, carinho e contenção. Quando isso não acontece, surge uma falha que impede que a evolução psicológica siga seu curso natural.

Como tratar/superar 

Se você leu até aqui e acredita ter carência afetiva, saiba que é possível superá-la. O tratamento psicológico é fundamental para ter o diagnóstico correto e ter as orientações adequadas. Mas com algumas dicas, é possível amenizar o problema.

Encare o seu problema sem culpa

Ao longo da vida, todos nós teremos problemas e desafios para enfrentar. Porém, é importante lidar com isso como um aprendizado.

Por isso, em vez de se culpar e reprovar a si mesmo, encare os desafios com maturidade emocional. O sentimento de culpa pode trazer malefícios para a sua saúde mental, e irá prolongar o processo de sofrimento.

Leia também: Teoria do apego: Entenda o que é

Não sufoque o outro

Para manter um relacionamento saudável com qualquer pessoa, saiba calibrar o tempo que você gasta com ela. Ser muito “grudento” pode sobrecarregar o próximo, o que, consequentemente, irá prejudicar a convivência.

Dito isso, estabeleça uma rotina de autocuidado e tente aprender a estar bem consigo mesmo, praticando o autoconhecimento.

Leia também: Complexo de Cinderela: Entenda o que é e como evitar

Aprenda a confiar

A carência, na maioria das vezes é associada a não ter confiança em outras pessoas e ao medo do abandono. Então, se você não confiar nos sentimentos que alguém tem por você, começará a desenvolver os mecanismos de carência afetiva.

Portanto, é essencial aprender a confiar tanto no parceiro, quanto em si mesma, tendo autoconfiança.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

Mesa flexora e cadeira flexora
Bem-estar Movimento

Mesa flexora e cadeira flexora: quais as diferenças e qual é a melhor?

Quem pratica musculação em academias, provavelmente vai se deparar com dois exercícios muito comuns no “leg day”: mesa flexora e cadeira flexora. Além do nome parecido,

Endometriose e saúde mental
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Endometriose e saúde mental: como cuidar de si mesma?

Desconfortos podem causar uma série de desafios emocionais, por isso é importante cuidar da saúde mental

escolher travesseiro
Bem-estar Saúde Sono

Saiba o que é importante na hora de escolher o melhor travesseiro

Aprenda a escolher o melhor produto para dormir melhor