Recuperação ativa: o que é e como fazer?

8 de junho, 2022

Após começar uma nova atividade física ou fazer um treino intenso, quem nunca ficou dolorido, não é mesmo? Quando estamos com dores musculares, a última coisa que temos é coragem para levantar e realizar as tarefas diárias. Por isso, a recuperação ativa é tão importante.

Basicamente, a recuperação ativa envolve a realização de movimentos e exercícios de baixa intensidade, como a corrida, por exemplo, para se recuperar de treinos vigorosos.

Assim, a técnica visa melhorar o fluxo sanguíneo e aumentar o oxigênio e nutrientes no corpo – principalmente nos músculos. Ou seja, os exercícios leves ajudam a reduzir as dores musculares e a fadiga.

A recuperação ativa torna-se ainda mais importante na redução dos sintomas da DTM (dor muscular de início tardio).

Dor muscular de início tardio

A dor muscular de início tardio é a sensação que ocorre entre 24 e 48 horas depois do exercício físico, quando o indivíduo pratica algum movimento que não está acostumado, de alta intensidade ou longa duração.

Contudo, qualquer um pode sentir a dor muscular tardia, é uma situação comum que pode surgir em atletas ou até mesmo em pessoas sedentárias.

A principal causa da dor muscular de início tardio é o desgaste metabólico (como na corrida) ou mecânico (como na musculação). Principalmente pela fase excêntrica do movimento, que acontece quando o músculo se alonga durante a contração.

Benefícios da recuperação ativa

Sem dúvidas, o principal benefício da técnica é se recuperar das dores mais rápido. Durante o treino, o corpo produz lactato sanguíneo, também conhecido como ácido lático, responsável por aumentar a dor muscular. Dessa maneira, a recuperação ativa ajuda a eliminar esse ácido.

Leia também: Estiramento muscular: O que é, sintomas e como tratar

Como fazer a recuperação ativa?

Antes de mais nada, para fazer a recuperação ativa você deve considerar quais grupos musculares foram trabalhados nos dias anteriores e estão mais doloridos. Assim, é possível escolher um exercício leve que priorize a recuperação dos mesmos.

Por exemplo, se você treinou inferiores (quadríceps e glúteos), busque  movimentos que ajudem a recuperar esses grupos musculares. Confira algumas atividades físicas que podem ajudar na recuperação:

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.