Quantos passos é preciso dar por dia? Pesquisa define meta

Bem-estar Movimento Saúde
08 de Novembro, 2022
Quantos passos é preciso dar por dia? Pesquisa define meta

A dúvida de quantos passos é preciso dar por dia foi respondida por um estudo inédito. Caminhar entre oito e nove mil passos todos os dias protege contra uma série de doenças crônicas, como obesidade e depressão, de acordo com a pesquisa recém-publicada na revista “Nature”.

Os médicos já sabiam que esse valor estava perto de dez mil, mas, agora, o número ficou mais preciso graças ao estudo, que monitorou pela primeira vez as passadas por meio de dispositivos como os smartwatches, relógios ligados a aplicativos. Os autores avaliaram uma gama maior de doenças – não só as mais tradicionais como as cardiovasculares – e por um longo período de tempo.

Quantos passos é preciso dar por dia: estudo

Depois de acompanhar mais de 6 mil voluntários durante quatro anos, os pesquisadores constataram que, de forma geral, quanto maior a quantidade de passos e maior a intensidade, menor o risco de diversas doenças.

Aqueles que caminhavam mais todos os dias – próximo dos dez mil passos – tinham uma chance entre 24% e 52% menor de desenvolver diabetes, hipertensão e depressão em relação aos que mantinham uma média próxima a seis mil.

No entanto, os benefícios à saúde apareceram antes mesmo dos famosos dez mil. Acima de 8.200 passos já cai o risco de desenvolver obesidade, apneia do sono, refluxo gastroesofágico e transtorno depressivo. Para essas doenças, quanto maior a quantidade de passos, maior a proteção. Mas atenção: se a meta é perder peso, é preciso andar um pouco além dos dez mil.

Por outro lado, os efeitos positivos contra hipertensão e diabetes atingiram seu pico em 8 mil e 9 mil passos, respectivamente. Acima disso não houve muita diferença.

Esses resultados estão alinhados com dois estudos que também estão disponíveis no periódico científico “Jama”. Ambos acompanharam mais de 70 mil pessoas e constataram menor risco de demência, câncer e doenças cardiovasculares em quem caminha cerca de dez mil passos.

Leia também: Caminhar por dois minutos depois de comer pode ser benéfico

Quanto e como se exercitar?

Ainda que até uma caminhada leve seja benéfica, a intensidade faz diferença.

“Para prevenir doenças crônicas, é preciso mais do que um passeio no parque”, diz o cardiologista pós-graduado em Medicina do Esporte Rodrigo Cardoso Porto, do Hospital Israelita Albert Einstein.

Para garantir os bons resultados, não é obrigatório ter um dispositivo que ajude a contar passos. A recomendação atual da Organização Mundial da Saúde é praticar atividade física moderada de 150 a 300 minutos por semana, ou entre 75 e 150 minutos se a atividade for intensa.

“A vantagem é que pode-se dividir esse período e somar com outras atividades, como a caminhada para o trabalho ou pedalar”, lembra o médico. “Mas se o objetivo é o condicionamento físico, aí é preciso aumentar a intensidade praticando corrida, por exemplo”.  

 Fonte: Agência Einstein

Leia também:

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina