Piscina com água parada é um perigo para a saúde

8 de dezembro, 2021

A estação mais quente do ano está chegando e, para se refrescar, as pessoas costumam ir à praia ou à piscina. Mas é necessário ter atenção redobrada durante esse período. Isso porque uma piscina com água parada pode comprometer a saúde.

Água parada pode ser fonte de proliferação de bactérias, germes e até de mosquitos. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde, cerca de 80% dos focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e febre chikungunya, estão dentro das residências e em locais como piscinas.

Com a vacinação contra a Covid-19 ainda em andamento, muitas pessoas sentem receio de utilizar piscinas comunitárias de grande volume. Por isso, elas acabam optando por piscinas que são facilmente montadas em casa, por exemplo, as de plástico e as infláveis. No entanto, esses tipos de piscina também representam riscos.

Leia também: Pessoas que já tiveram dengue têm mais chance de contrair a forma sintomática da Covid-19

Como evitar piscina com água parada

Segundo João Pedro Menezes, CEO da empresa Clorin, especialista em produtos para higienização, desinfecção e limpeza, a melhor forma de tratar piscina com água parada é com itens desenvolvidos para isso. “A higienização é feita com a dosagem correta de cloro em relação ao volume da piscina. Pastilhas desinfetantes estabilizam o pH da água e, além disso, impedem a formação de larvas de mosquitos”, afirma.

O cuidado com a água não é importante apenas para quem usa a piscina, mas para a sociedade como um todo, uma vez que contribui para evitar a reprodução de seres vivos que são prejudiciais à saúde humana.

Mantenha a piscina limpa

Como dito anteriormente, o procedimento de higienização é essencial para evitar o Aedes Aegypti. Por mais que a piscina esteja parada — especialmente em dias de inverno — a limpeza deve estar em dia, de preferência semanalmente.  

Assim, para limpar, lembre-se de retirar as sujeiras da superfície e do fundo, filtrar toda a água e medir e manter o pH equilibrado. Além disso, esfregue as bordas e as paredes da piscina.

Não esvazie a piscina

Ao contrário do que muitas pessoas podem pensar, esvaziar a piscina não é a solução. Pois, por conta da água da chuva, que pode se acumular no fundo, os ovos dos mosquitos podem proliferar lá.

Fonte: João Pedro Menezes, CEO da empresa Clorin, especialista em produtos para higienização, desinfecção e limpeza.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.