Dar 7 mil passos por dia pode reduzir risco de morte, diz estudo

10 de setembro, 2021

Que a caminhada faz bem para a saúde, provavelmente você já sabe. Mas você também sabia que existe uma quantidade mínima de passos para que a atividade tenha resultado? Um estudo feito na Universidade de Massachusetts, nos Estados Unidos, descobriu que dar 7 mil passos por dia pode reduzir o risco de morte.

Assim, os 7 mil passos são equivalentes a cerca de 4 km a 5 km, dependendo da altura da pessoa.

A pesquisa, publicada na revista científica Jama Network, buscou avaliar 2 110 adultos com idades entre 38 e 50 anos durante 10 anos. Dessa maneira, eles foram divididos em três grupos: os que davam menos de 7 mil passos por dia; os que andavam de 7 mil a 9 999 passos; e por último, aqueles que davam mais de 10 mil passos. 

O objetivo principal da análise era observar a relação entre a caminhada diária com a mortalidade prematura. Isto é, quando o óbito acontece antes dos 65 anos.

Os resultados da pesquisa

Os pesquisadores descobriram que — independentemente do gênero ou da etnia — pessoas que davam 7 mil passos por dia tinham 50% a 70% menos chance de morte em relação àquelas que não caminhavam. 

Além disso, durante a avaliação, 72 dos 2 110 participantes (3,4%) morreram. As principais causas de morte foram câncer e doenças cardiovasculares.

Leia também: Dicas para começar a participar de provas de corrida de rua

A importância da quantidade de passos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que adultos pratiquem 300 minutos de atividades físicas moderadas por semana – até uma hora de exercícios por dia durante cinco dias ou 40 minutos por dia durante sete dias – ou, então, 150 minutos de atividades físicas intensas.

Portanto, ir aumentando os passos diariamente é fundamental, mas essa tarefa pode ser difícil para algumas pessoas. 

De acordo com os especialistas, o ideal é incluir pequenas alterações no dia a dia. Busque passar a fazer mais atividades a pé, como ir à padaria ou ao mercado próximo, e prefira subir escadas em vez de pegar elevadores. 

Vale lembrar que você não precisa começar na rua, os passos dentro de casa já contam. Sendo assim, o mais importante é se movimentar.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo