Parotidite: Entenda o que é, sintomas e tratamento

5 de janeiro, 2022

Você já ouviu falar em parotidite? Também conhecida como caxumba pela maioria das pessoas, a condição consiste em uma doença viral aguda. Dessa forma, por ser tão comum, é possível tratá-la com facilidade assim como preveni-la de forma eficaz.

O que é parotidite? 

“Parotidite é uma doença viral aguda, também conhecida como caxumba, causada pelo paramyxovirus“, explica a pediatra e endocrinopedriatra do Grupo Sabin Dra. Georgete Beatriz de Paula. “É caracterizada por febre e aumento de volume de uma ou mais glândulas salivares. Como a parótida e, às vezes, glândulas sublinguais ou submandibulares”, diz.

O seu sintoma principal e mais comum é o aumento das glândulas salivares. Além disso, acomete também as glândulas sublinguais e submaxilares, acompanhada de febre. 

Leia também: Inchaço no rosto: Lista de alimentos para evitar

Assim, cerca de 20 a 30% dos homens adultos que contraem caxumba acabam apresentando orquite, ou seja, inflamação dos testículos. Já mulheres acima de 15 anos podem apresentar mastite (inflamação dos tecidos das mamas – acomete, em média, 15% dos casos), e 5% das mulheres que contraem caxumba após a fase puberal podem apresentar ooforite, isto é, uma inflamação no ovário.  

“Em menores de 5 anos, são comuns sintomas das vias respiratórias. Embora raro, pode haver perda neurossensorial da audição, de início súbito e unilateral. O vírus também tem tropismo pelo Sistema Nervoso Central, observando-se, com certa frequência, meningite asséptica, de curso benigno. Por isso, na maioria das vezes, não deixa sequelas”, afirma a especialista.

Por fim, mas não menos importante, outras complicações são a encefalite e a pancreatite, e, se contraída durante o 1o trimestre da gestação, pode ocasionar aborto espontâneo. 

Como prevenir a caxumba? 

Apesar de uma série de sintomas e possíveis complicações, a boa notícia é que já existem medidas bastante efetivas de prevenção à caxumba. A vacinação é de extrema importância nesses casos, e confere imunidade permanente. “A imunização de rotina é realizada com a vacina tríplice viral (sarampo, rubéola, caxumba) aos 12 meses de idade e a 2ª dose da vacina acontece entre 4 a 6 anos de vida”, explica a médica. “Conforme o Calendário Nacional de Vacinação, todas as crianças e adolescentes até 19 anos devem ter as duas doses da vacina tríplice viral”, finaliza.

Fonte: Dra. Georgete Beatriz de Paula, pediatra e endocrinopedriatra do Grupo Sabin.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.