Ortorexia psicológica: A obsessão pela autoperfeição

3 de agosto, 2021

Manter uma alimentação saudável, se exercitar diariamente, ser produtivo no trabalho, cultivar relacionamentos felizes, meditar e dormir oito horas por dia. Esses são alguns dos hábitos que as pessoas que têm uma vida equilibrada buscam sempre cultivar. No entanto, a obsessão pela autoperfeição pode trazer consequências negativas para a saúde mental. Existe até um nome para isso: ortorexia psicológica.

A condição diz respeito à necessidade de aperfeiçoar todas as ações e projetos do dia a dia. Mas a busca exagerada por resultados impecáveis, em vez de nos tornar melhores, traz o contrário.

Isso acontece porque quando o indivíduo não consegue cumprir o que é estabelecido por ele mesmo, surgem sentimentos de frustração e desmotivação. Consequentemente, essas sensações podem desencadear estados emocionais negativos, como ansiedade e depressão.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Grupo Consumoteca, 58% dos brasileiros se consideram insatisfeitos com a sua vida atual. Além disso, 52% seguem perfis motivacionais nas redes sociais e 34% consomem livros de autoajuda para melhorar aspectos ruins da própria vida.

A ortorexia psicológica e as redes sociais

As redes sociais têm contribuído cada vez mais para os problemas com a autoestima. Pois os influenciadores passam a maior parte do tempo mostrando seus carros importados, mansões e acessórios de marcas de luxo, o que pode passar ao público uma imagem de “vida perfeita”. 

Assim, as pessoas se comparam a todo momento, achando que o que elas veem na internet é o ideal.

Contudo, essa competição social gera  diversas frustrações. Afinal, as pessoas começam a questionar por que não conseguem atrelar suas tarefas e compromissos com momentos de lazer, descanso e esporte.

Leia também: Como as redes sociais podem atrapalhar a qualidade do sono

Por isso, é essencial definir limites sobre o uso das mídias sociais. Se há algo que você gosta e admira em influenciadores, observe quais são esses sentimentos. Com isso, verá que não precisa se comparar ou tentar ser igual, você pode simplesmente admirar algum aspecto da vida de outra pessoa. 

Ademais, tente olhar por uma perspectiva diferente: nem sempre vamos conseguir realizar tudo que queremos de uma vez só. Saiba organizar o seu tempo por ordem de prioridade. E o mais importante: busque ajuda psicológica se os sentimentos estiverem prejudicando a sua qualidade de vida.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.