O que gera a gula? Dicas de como lidar com o problema

Alimentação Bem-estar
21 de Julho, 2023
O que gera a gula? Dicas de como lidar com o problema

Às vezes, a gente nem está com fome, mas não resiste a um pedaço de bolo ou uma fatia de pizza. Muita gente chama isso de gula, que não traz riscos quando acontece esporadicamente. Contudo, quando momentos como esse tornam-se frequentes e descontrolados, eles podem prejudicar a nossa saúde, e geralmente indicam questões emocionais que precisam ser trabalhadas. Entenda melhor:

Afinal, o que é a gula?

De acordo com o médico especialista em emagrecimento Dr Gabriel Almeida, a gula nada mais é do que a vontade de comer em demasia. Na verdade, ele afirma que ela pode ser dividida em dois tipos:

  • Gula homeostática: a pessoa tem vontade de comer vários tipos de alimentos, e o faz em quantidades exageradas;
  • Gula hedônica: fome por alimentos altamente palatáveis, como doces e frituras.

“Grande parte dessas alterações emocionais alimentares vem da infância, sendo que algumas situações podem agir como gatilhos para a ingestão excessiva de alimentos. Há também aquelas crianças que, ao sofrerem com a opressão dos pais, buscam no alimento uma fuga, um conforto. E em ambas as situações, os alimentos geralmente são altamente palatáveis”, complementa o profissional.

Além disso, o Dr Gabriel Almeida também afirma que uma microbiota intestinal desequilibrada, com um exagero de bactérias ruins, pode predispor a fome emocional, que está associada ao eixo intestino-cérebro – característica percebida em pessoas que comem muitos doces, por exemplo.

Leia também: Ganho e perda de peso no inverno: mitos e verdades

Como lidar com o problema?

A gula pode ser prejudicial quando frequente em vários sentidos. “Comer em excesso pode desencadear inúmeros problemas de saúde física e mental, como obesidade, diabetes, aumento do colesterol e até problemas cardíacos”, alerta o médico.

Por ser envolver uma série de fatores, o tratamento também passa por diferentes áreas. “Uma delas é a psicologia, que tem como finalidade identificar os padrões que podem predispor as compulsões alimentares, e a outra é a terapêutica medicamentosa, que usa fármacos para diminuir a compulsividade”, ele exemplifica.

De qualquer forma, a melhor maneira de entender se a questão está atrapalhando o seu corpo ou a sua mente é consultando um profissional capacitado.

Fonte: Dr Gabriel Almeida, autor do livro ‘O Despertar da Mente Magra’, médico e professor em qualidade de vida e emagrecimento saudável.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

menina com ritmo circadiano saudável dormindo na cama durante as férias
Bem-estar Gravidez e maternidade

Férias escolares: como manter um ritmo circadiano saudável?

Manter um ritmo circadiano saudável por meio de uma rotina consistente é fundamental para o bem-estar físico e mental.

mãos segurando um tapete de ioga
Bem-estar Movimento

Treinar no frio dá menos resultado? Especialista responde

As temperaturas mais baixas do inverno fazem com que o corpo demore mais para aquecer. O que pode dar a sensação de que treinar no frio

criança sentada em mesa segurando uma colher e comendo um mingau rico em fibras
Alimentação

Fibras na alimentação infantil: conheça os benefícios e como incluí-las

As fibras na alimentação infantil contribuem para o bom funcionamento do intestino, prevenindo a prisão de ventre.