Noites mal dormidas podem ser neutralizadas com atividade física

Bem-estar Movimento Sono
02 de Maio, 2023
Noites mal dormidas podem ser neutralizadas com atividade física

Praticar atividade física ajuda a compensar, pelo menos em parte, os prejuízos das noites mal dormidas, segundo uma pesquisa recém-publicada European Journal of Preventive Cardiology. De acordo com os autores, este é um dos primeiros estudos a avaliar os efeitos em conjunto da atividade física e da qualidade do sono usando um acelerômetro, um tipo de relógio com um sensor para avaliar o nível de exercícios. 

Sabe-se que dormir pouco ou em excesso – menos do que 6 horas ou mais do que 9 horas – está associado a maior risco de diversas doenças, de problemas cardiovasculares e até de demência. Por outro lado, a atividade física ajuda a prevenir e controlar doenças metabólicas, neurodegenerativas, câncer, entre outras. Continue lendo e saiba mais. 

Veja também: Mudança de hábito: a chave para ter uma vida mais saudável

Noites mal dormidas e atividade física: Detalhes sobre o estudo

O estudo avaliou mais de 90 mil pacientes com idades entre 40 e 73 anos, que foram classificados de acordo com o nível de atividade física (se seguiam ou não a recomendação de 150 minutos semanais de atividade moderada ou 75 minutos de vigorosa) e se dormiam pouco (menos do que 6 horas), normal (entre 6h e 8 h) ou muito (mais de 8h). 

Aqueles que se exercitavam dentro do recomendado e dormiam bem tiveram os melhores resultados em termos de menor risco de morte por qualquer causa. Os piores índices foram observados entre os que tinham sono de má qualidade e eram sedentários, com um risco cardiovascular 52% maior. A surpresa foi que esses riscos desapareceram naqueles que se exercitavam conforme o recomendado, mesmo dormindo mal. 

O estudo traz mais uma evidência de que a atividade física também é capaz de minimizar e, provavelmente, até evitar as consequências negativas de não ter um bom padrão de sono”, diz a fisioterapeuta Carolina Vicaria Rodrigues D´Aurea, do Hospital Israelita Albert Einstein. Segundo ela, o recomendado para a maioria das pessoas seria dormir entre 7 e 8 horas. 

Além disso, a atividade física também é uma das recomendações de higiene do sono para dormir melhor. E o sono melhor em qualidade e quantidade traz mais qualidade de vida, com menos risco de desenvolvimento de doenças e mortalidade por todas as causas”, completa a especialista.

Como melhorar as noites de sono 

Em qualquer caso, os especialistas defendem hábitos que fazem parte da “higiene do sono”. Veja algumas dicas, de acordo com a Academia Americana de Medicina do Sono:

  • Primeiramente, mantenha uma rotina, dormindo e acordando sempre no mesmo horário, se possível nos fins de semana e férias também;
  • Vá para cama num horário que permita dormir o quanto seu corpo precisa para se sentir bem no dia seguinte – estudos sugerem nunca dormir menos do que 6 horas por noite;
  • Além disso, use a cama somente para dormir e atividade sexual. Realize outras atividades em outro local: o corpo precisa entender que o quarto é um lugar preparado e pensado para dormir;
  • Faça do seu quarto um ambiente relaxante;
  • Evite cochilos ao longo do dia;
  • Reduza a ingestão de líquidos antes de ir para a cama e faça refeições leves à noite;
  • Desligue os eletrônicos pelo menos meia hora antes de se deitar;
  • Evite álcool e cafeína à noite;
  • Por fim, se não pegar no sono em 30 minutos, saia da cama e faça uma atividade relaxante, como ler.

Fonte: Agência Einstein

 

Leia também:

benefícios da banana
Alimentação Bem-estar Saúde

10 benefícios da banana que provavelmente você não conhece (mais receitas)

A banana é amiga do intestino, além de ser eficiente na prevenção de cãibras. Veja outros benefícios da fruta!

mulher fazendo o exercício peck deck na academia
Bem-estar Movimento

Peck deck (voador): o que é, para que serve e como fazer o exercício

Entenda quais músculos o peck deck aciona, como executar corretamente e quais exercícios podem substituí-lo nos dias mais cheios da academia

perda muscular
Bem-estar Movimento Saúde

Perda muscular compromete a recuperação do paciente  

A sarcopenia, a perda de massa muscular e da força, aumenta o risco de complicações em diversos quadros