Niacinamida e vitamina C podem ser usadas juntas?

20 de junho, 2022

Se você é louca por beleza, talvez já tenha ouvido dizer por aí que a vitamina C não pode ser usada junto com a niacinamida na pele. Isso aconteceria porque os dois ativos possuem funções e atuações muito parecidas. Sendo assim – de acordo com alguns textos que podem ser encontrados na internet – o uso conjunto faria com que uma anulasse o efeito da outra. Mas, será que niacinamida e vitamina C podem ser usadas juntas?

Niacinamida e vitamina C

A resposta é uma só: sim. Pois, se, na teoria, existe a crença de que os benefícios são neutralizados uma pela outra, na prática não é isso que acontece. “Na verdade, suas ações são sinérgicas, o que otimiza os resultados e torna a combinação mais eficiente”, explica a dermatologista Lilian Odo, de São Paulo (SP).  

Niacinamida e vitamina C: quais os benefícios de cada ativo?

A niacinamida é uma vitamina do complexo B, também chamada de nicotinamida ou vitamina B3. Ou seja, ela está diretamente envolvida no metabolismo celular de energia e na regulação da síntese de DNA.  Na pele, tem efeito anti-inflamatório e clareador de manchas. Também neutraliza a ação de radicais-livres, combatendo o envelhecimento precoce. Além disso, regula a produção de sebo e auxilia no controle da sensibilidade da pele. A concentração recomendada para uso é de até 5%. 

Já a vitamina C, ou ácido ascórbico, é um dos ativos mais estudados e utilizados pelos dermatologistas. Ele é essencial para o processo de cicatrização da pele. E mais: estimula a produção de colágeno e inibe a sua degradação, apresentando efeito antienvelhecimento. Assim, as concentrações nos cosméticos vão de 5% a 20%.

“Outro papel importante da vitamina C é agir como uma substância antioxidante e, assim, ajudar a minimizar os danos oxidativos na pele causados pelos raios solares”, diz Lilian. Ela também tem efeito clareador, já que inibe a formação de melanina.

Vantagens do uso combinado

Ambas têm igualmente a capacidade de evitar manchas, são antioxidantes e hidratam a pele. Todas essas funções, portanto, potencializam-se pelo uso conjunto. A niacinamida, por sua vez, controla a oleosidade, o que a vitamina C não faz. Então, o efeito da combinação torna-se mais potente. 

Além disso, a vitamina C, dependendo da concentração, por vezes pode causar alguma irritação em peles mais sensíveis. “Mas, este efeito pode ser neutralizado pela ação anti-inflamatória da niacinamida”, diz Lilian. 

Segundo a médica, o uso pode ser de manhã ou à noite, diariamente como parte da rotina de cuidados com a pele. “O importante é aplicar sobre a pele limpa”, diz a dermatologista. Por fim, lembre-se de aplicar protetor solar sempre depois dos cuidados com a pele.

Leia também: Chá de limão – benefícios e receitas

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.