Morte por varíola dos macacos no Brasil: Saúde registra oitavo caso

Saúde
25 de Outubro, 2022
Morte por varíola dos macacos no Brasil: Saúde registra oitavo caso

O Ministério da Saúde confirmou a oitava morte por varíola dos macacos. A vítima, um homem de 33 anos, morava em Divinópolis, cidade de Minas Gerais, estado que acumula três mortos pela infecção. Além disso, a pasta da Saúde está investigando a suspeita de um quarto óbito, sem oferecer detalhes de sua região.

Até o momento, todos os pacientes se enquadraram no grupo de risco, com imunidade baixa e outros fatores de saúde que agravaram a doença.

De acordo com o último card de situação epidemiológica da monkeypox, o Brasil possui 9.026 ocorrências confirmadas, além de 4.765 suspeitas.

Veja também: Varíola dos macacos: há razões para se preocupar?

O que você precisa saber sobre a monkeypox

Sintomas

O ciclo do vírus dura entre 5 e 21 dias, e normalmente a manifestação começa no 13º dia. Logo depois desse período, a pessoa pode sentir febre, falta de ar, dores musculares, fadiga e inchaço nos gânglios. Mas a principal “marca registrada” da doença são lesões na pele em forma de erupções parecidas com as da catapora e da sífilis. Todavia, existem dois novos sintomas que os cientistas do Reino Unido descobriram há pouco tempo: dor no ânus e inchaço do pênis. A pesquisa foi divulgada no The BMJ no final de julho, e contou com a participação de 197 pacientes com monkeypox.

Formas de contágio

A varíola dos macacos é uma zoonose. Em outras palavras, animais contaminados (primatas, marsupiais e roedores) passam o vírus para humanos. No entanto, o contágio agora também ocorre por vias humanas, o que justificaria a disseminação da doença para outros países fora do continente africano, onde a enfermidade é endêmica. A principal via de transmissão é o contato com a secreção das feridas da doença. Então, abraçar, beijar, compartilhar itens pessoais e ter relações sexuais com uma pessoa contaminada são exemplos de oportunidade para a monkeypox.

Morte por varíola dos macacos

Embora as mortes preocupem, vale ressaltar que a doença possui baixa letalidade — menos de 1%. No Brasil, todos os casos apresentam sintomas leves e moderados, mas com quadro de saúde estável. Por outro lado, isso não quer dizer que devemos negligenciar os cuidados. Pelo contrário: o país figura entre as nações com mais vítimas da doença no mundo. 

Cuidados preventivos

É importantíssimo redobrar os cuidados com a higiene. Então, sempre lave e aplique álcool em gel nas mãos depois de andar de transporte público ou tocar objetos e pessoas fora de casa. Também evite o contato com pessoas supostamente infectadas para se prevenir. Segundo a Anvisa, o uso de máscaras é recomendado, especialmente em locais fechados, aviões e aeroportos. Por fim, caso você suspeite de qualquer sintoma, procure auxílio médico imediatamente para se proteger e preservar outras pessoas.

Existe vacina para a varíola dos macacos?

Não há um imunizante específico para a doença. No entanto, a farmacêutica Bavarian Nordik, responsável pela fabricação da vacina, atualizou a composição para torná-la mais eficaz contra a monkeypox. Inclusive, o primeiro lote de imunizantes já chegou ao Brasil, mas não há informações oficiais sobre a vacinação.

Fontes: Ministério da Saúde; Instituto Butantan; e OMS.

https://www.youtube.com/watch?v=ZV8ap20hrCM

Sobre o autor

Amanda Preto
Jornalista especializada em saúde, bem-estar, movimento e professora de yoga há 10 anos.

Leia também:

selfie do ex-jogador de vôlei, Tande
Saúde

Tande, do vôlei, sofre infarto e é internado em hospital

Tande, ex-jogador da seleção brasileira de vôlei, revelou ter tido 98% de entupimento em uma de suas veias e sofrido um infarto

benefícios da banana
Alimentação Bem-estar Saúde

Quais são os benefícios da banana para a saúde? Veja lista e receitas saudáveis

A banana é amiga do intestino, além de ser eficiente na prevenção de cãibras. Veja outros benefícios da fruta!

horário para treinar
Bem-estar Movimento Saúde

Estudo revela melhor horário para pessoas com obesidade treinaram

O estudo da Universidade de Sidney identificou benefícios do treino noturno para a saúde do coração