Microfisioterapia: técnica é aliada no tratamento de diversas doenças

2 de agosto, 2022

A microfisioterapia ganhou muitos adeptos no Brasil, mas a técnica já vem mostrando seus resultados há tempo. Criada em 1983, na França, pelos fisioterapeutas e osteopatas Daniel Grosjean e Patrice Benine, trata-se de um método de prevenção, diagnóstico funcional e tratamento manual das diversas disfunções corporais e emocionais. Entenda melhor.

Leia mais: Fisioterapia respiratória: afinal, o que é e quem deve realizar?

Como é feita a microfisioterapia?

A técnica é feita por meio de toques manuais sutis e específicos que buscam desencadear o sistema natural de recuperação dos desequilíbrios e disfunções do corpo. Dessa forma, pode fazer com que os sintomas regridam ao longo do tempo.

De acordo com a fisioterapeuta e especialista em microfisioterapia, Juliana Fuccio, a técnica tem atuação em nível celular, identificando pontos chamados de “memória celular”. “Qualquer trauma ao longo da vida pode deixar marcas no corpo, seja um trauma físico, psíquico, emocional, infeccioso ou tóxico”, comenta.

Juliana conta que a técnica é feita a partir da micropalpação na pele. “Esses são os gestos que fazemos ao tocar o tecido para desencadear um processo de auto regulação. Através deles, também conseguimos localizar pontos específicos que agem nos neurotransmissores responsáveis pela saúde emocional”, completa.

Aliada no tratamento de diversas doenças

“Os sintomas são formas do nosso corpo expressar que algo não vai bem e merece toda nossa atenção”, esclarece. Dessa forma, de acordo com Juliana, a microfisioterapia traz benefícios e alívios dos sintomas de enxaquecas, rinites, sinusites, doenças crônicas, dores musculares, distúrbios do sono, alergias, TDAH (Déficit de Atenção e Hiperatividade), problemas escolares, distúrbios alimentares e hormonais, síndrome Pós-Covid 19 e muitas outras.

Além disso, pode, e deve, ser realizada simultaneamente com outros tratamentos e equipe multidisciplinar com médicos, psicólogos, nutricionistas, dentistas, terapeutas e fonoaudiólogos, além de ser indicada como técnica preventiva.

Fonte: Juliana Fuccio, fisioterapeuta e especialista em microfisioterapia. É fundadora e diretora da Clínica Ergos, em Nova Lima.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.