Máscara para varíola dos macacos: Anvisa faz novas recomendações

22 de julho, 2022

O aumento de casos de varíola dos macacos pelo mundo, sobretudo em países europeus, está exigindo medidas para evitar a contaminação para outros locais. No Brasil, não poderia ser diferente — ontem (21), a OMS informou que o país é o nono do mundo com maior número de casos — são quase 600 até o momento. A fim de minimizar o risco de contágio, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) sugere o uso de máscara para varíola dos macacos. Além delas, o órgão reforçou a importância do distanciamento físico e da higienização das mãos em aeroportos e aviões.

Veja também: O que se sabe até agora sobre a varíola dos macacos

Máscara para varíola dos macacos: por que usar?

Sabemos que a máscara foi e continua sendo essencial contra a disseminação do coronavírus e agora da varíola dos macacos. Segundo a Anvisa, as orientações de segurança são úteis para reduzir não só a incidência de ambas, mas de outras infecções. Sobretudo em locais com acúmulo de pessoas, caso dos aeroportos e transportes aéreos.

Números da doença até o momento

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), há mais de 14.500 casos em 78 países diferentes, além de 5 óbitos. A principal forma de transmissão do vírus é por meio do contato com pessoas infectadas e pelas relações sexuais. Embora seja preocupante, a OMS não reconhece o surto como uma nova pandemia, mas reitera os cuidados redobrados de toda a população. Como sintomas, a infecção causa febre, fadiga, dor muscular, falta de ar e erupções cutâneas.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.