Afinal, máscara facial de chocolate é mesmo feita de chocolate? Descubra!

2 de agosto, 2022

A máscara de chocolate já é uma antiga conhecida de quem gosta de se dedicar a um bom skincare para cuidar da pele do rosto.

Sua composição, contudo, ainda deixa uma dúvida bem comum: ela é mesmo feita com chocolate?

Leia também: Máscara facial: como escolher de acordo com seu tipo de pele

Máscara de chocolate é feita de chocolate?

A resposta é: não exatamente.

De acordo com a dermatologista Cristine Carvalho, de São Paulo, a máscara costuma ser feita com cacau, que é a matéria prima do chocolate.

“Ela geralmente leva cacau em pó, porém existem vários fabricantes e é importante checar as embalagens para ter certeza dos ativos presentes naquele produto”, ela sugere.

Leia também: Afinal, quais são os benefícios da máscara de café para a pele?

E quais são os benefícios do cacau?

Além de ter propriedades hidratantes por ser uma fruta oleaginosa, o cacau ainda possui vários ativos que beneficiam a pele. São elas:

  • Vitaminas A, D, E e K: importantes antioxidantes da pele e cabelos;
  • Magnésio, potássio e cafeína: eles promovem o tônus e deixam a pele com brilho e mais tonificada.

Leia também: Máscara de cacau: receita caseira e benefícios para a pele do rosto

Como usar a máscara de chocolate

Segundo a dermatologista, a máscara de chocolate traz resultados mais rápidos a cada aplicação, quando comparada a um creme de uso diário. Por isso, a indicação é usar uma vez a cada 10 ou 15 dias, para que não haja exageros.

Além disso, ela também pode entrar como complemento a algum procedimento feito em clínica, deixando a pele mais hidratada e uniforme após o tratamento.  

“Isso confere uma experiência muito mais agradável e satisfatória ao paciente”, explica Cristine.

Contraindicações

Cristine afirma que a máscara de chocolate é indicada para quase todos os tipos de pele para um efeito antioxidante e hidratante.

Contudo, todas as máscaras faciais devem ser utilizadas conforme a necessidade, que deve ser avaliada pelo seu dermatologista”, alerta.

Pacientes com peles muito oleosas ou que sejam mais propensos a ter alergias, por exemplo, podem sofrer com alguma irritação e, portanto, não devem usar o produto sem indicação médica.

Fonte: Cristine Carvalho, médica dermatologista, de São Paulo.

Sobre o autor

Ana Paula Ferreira
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em beleza e bem-estar.