Diferenças entre linfoma de Hodgkin e não-Hodgkin

10 de agosto, 2021

O linfoma é um tipo de câncer raro que afeta os linfócitos — células de defesa que identificam infecções e até mesmo outros tumores no organismo. Dessa maneira, ele surge a partir de mutações dessas células e começa a crescer desordenadamente. Contudo, o problema pode ser classificado em dois tipos: linfoma de Hodgkin e linfoma não-Hodgkin.

De acordo com dados da Coalizão Linfoma, rede mundial de pacientes com linfoma, mais de 1 milhão de pessoas no mundo vivem com a doença. No Brasil, por exemplo, a taxa é de 150 mil casos por ano.

Linfoma de Hodgkin

O linfoma de Hodgkin é marcado pela presença de células de Reed-Sternberg, que podem ser identificadas por microscópios. Elas são gigantes, multinucleadas e mergulhadas em um infiltrado inflamatório característico.

Geralmente, esse tipo de linfoma é diagnosticado em estágio inicial e, portanto, é considerado um dos cânceres mais tratáveis e curáveis. Além disso, costuma ser mais comum em pessoas de 15 a 40 anos.

Leia também: Benefícios do exercício físico para pacientes com câncer

Sintomas

Um dos principais sintomas do linfoma de Hodgkin é o inchaço dos gânglios linfáticos — localizados no pescoço, na virilha ou nas axilas. No entanto, também existem outros sinais que ajudam a identificar a condição, que incluem:

  • Perda de peso sem causa aparente;
  • Diminuição do apetite;
  • Febre;
  • Suor noturno;
  • Além disso, fadiga ou perda de energia;
  • Tosse e dificuldade para respirar, ou desconforto no peito;
  • Coceira ou ressecamento da pele;
  • Por fim, aumento do abdômen devido ao aumento do baço.

Linfoma não-Hodgkin

Por outro lado, no linfoma não-Hodgkin, as células Reed-Sternberg não estão presentes. Ademais, esse tipo de câncer pode surgir em qualquer parte do corpo.

Dessa forma, a incidência do linfoma não-Hodgkin também é diferente: duplicou nos últimos 25 anos, especialmente entre as pessoas com mais de 60 anos.

Leia também: Alimentos que ajudam a prevenir câncer de próstata

Sintomas

Os sintomas podem variar de pessoa para pessoa. Entretanto, os mais comuns são:

  • Aumento dos gânglios linfáticos;
  • Anemia;
  • Fadiga excessiva;
  • Febre;
  • Falta de energia para realizar as atividades do dia a dia;
  • Sudorese;
  • Náuseas e vômitos;
  • Coceira na pele;
  • Inchaço no rosto ou no corpo;
  • Perda de peso sem causa aparente;
  • Confusão mental;
  • Sangramento fácil;
  • Aparecimento de hematomas no corpo;
  • Ademais, inchaço e desconforto abdominal.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.