Key Alves sofre com dores no dente do siso; quando se deve extraí-los?

Saúde
06 de Fevereiro, 2023
Key Alves sofre com dores no dente do siso; quando se deve extraí-los?

Key Alves, jogadora de vôlei e participante da atual edição do BBB, tem sofrido com dores na região do dente do siso. O desconforto fez com que a sister pedisse medicamentos à produção e questionou se precisava passar por uma consulta médica.

A situação de Key é bem comum, pois o dente do siso, também conhecido como terceiro molar, pode causar desconfortos e inflamações enquanto cresce.

Veja também: Obesidade pode aumentar risco de Alzheimer, diz estudo

Por que é comum sentir dor no dente do siso, como Key Alves?

Diferentemente de todos os dentes que nascem durante a infância, os do siso são mais tardios. Ou seja, eles se desenvolvem entre os 15 e 25 anos de idade — por isso o apelido de “dente do juízo”.

Como eles são os últimos a nascer, precisam de espaço para isso. Do contrário, podem crescer de maneira incorreta, provocando o deslocamento de outros dentes, sobreposição e outros fatores que podem gerar dor.

Dependendo da causa que atrapalha o processo, é possível sentir incômodos variados. Por exemplo, dores de cabeça, na região do siso e febre. Isso acontece porque os dentes perfuram a mucosa da gengiva, o que pode gerar um quadro inflamatório recorrente, a pericoronarite.

Nessa situação, a pessoa pode enfrentar dificuldades para abrir a boca e mastigar alimentos, pois a a gengiva fica extremamente sensibilizada e machucada.

Em quais casos a extração dos dentes do siso é necessária?

Quando o crescimento dos dentes atrapalha a harmonia da arcada dentária. Alguns indivíduos podem ter problemas com o surgimento do siso, que não se completa e fica mais suscetível à pericoronarite; outros apresentam mal posicionamento do dente; e, por fim, os dentes do siso pode ficar inclusos. Isso significa que estão acondicionados sob a gengiva ou ainda dentro de um osso.

Todos os cenários não só trazem dores e incômodos variados, mas prejudicam a saúde bucal, com mais propensão a cáries.

Contudo, a decisão de remover os dentes precisa partir de um cirurgião dentista, que avalia os sintomas do paciente e os impactos sobre a qualidade de vida.

Para isso, o profissional pode pedir um exame de imagem, como a tomografia. Assim, verifica-se a posição e o espaço que o dente está ocupando, assim como a altura em relação aos dentes vizinhos e ao osso.

A depender do diagnóstico, o dentista pode iniciar o tratamento apenas com medicamentos — como pediu Key Alves — para reduzir o quadro inflamatório e observar o progresso dos dentes. Se o dente estiver bem posicionado, o desconforto pode ser temporário e solucionado apenas com anti-inflamatórios e produtos de higiene bucal específicos.

Em contrapartida, se a recomendação for de fato cirúrgica, o especialista também pode ministrar um tratamento curto, com o objetivo de eliminar o processo inflamatório e possibilitar a cirurgia.

Como prevenir a situação de Key Alves e não ter dores?

A melhor forma de evitar transtornos futuros é visitar regularmente o dentista. Dessa forma, o profissional consegue acompanhar a saúde bucal e exigir exames que podem antecipar o problema.

Embora muitas pessoas sofram com o aparecimento dos dentes do siso, outras sequer sentem os sintomas descritos. Mas isso não quer dizer que o dente poderá comprometer o sorriso de alguma forma — afinal, ele pode crescer torto ou com outras condições que requerem a retirada.

Além disso, evite a automedicação caso tenha dores — lembre-se de que o dentista é o único capaz de prescrever medicamentos e avaliar o que está havendo com os dentes.

 

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

foto de uma caderneta de vacinação com uma seringa
Saúde

Caderneta de vacinação em dia ajuda a evitar surtos de doenças

Especialistas alertam que a vacinação é um pacto de saúde coletivo

Chá de folha de mamão e dengue
Saúde

Chá de folha de mamão e dengue: é falso que bebida combate a doença

Não existem evidências científicas de que a bebida possui propriedades medicinais no tratamento da doença

vitamina B e dengue
Saúde

Vitamina B previne a picada do mosquito da dengue?

Sem comprovação científica, a técnica popular pode levar a população a uma falsa sensação de segurança