Como a intensidade dos exercícios impacta a memória

Bem-estar Equilíbrio Movimento
14 de Outubro, 2022
Como a intensidade dos exercícios impacta a memória

Que a prática regular de exercícios físicos traz muitos benefícios para a saúde, provavelmente você já sabe. Se movimentar previne doenças crônicas, doenças cardiovasculares, como diabetes e hipertensão, entre muitas outras. Além, é claro, de ser essencial para a nossa saúde mental. Mas você sabia que a intensidade dos exercícios também impacta positivamente a memória?

Estudos feitos ao longo dos anos, já mostraram que apenas um treino pode melhorar a memória. E praticar atividades físicas regularmente também ajuda a prevenir problemas de memória.  

Recentemente, uma pesquisa feita pela faculdade de Dartmouth estudou como as diferentes intensidades dos exercícios impactam a memória.

Leia também: Diabetes, hipertensão e exercícios físicos: benefícios e cuidados

Tipos de memória e a intensidade dos exercícios

Para chegar aos resultados, os pesquisadores do estudo, publicado na revista Nature Scientific Reports, analisaram dados do Fitbit (smartwatch) de 113 pessoas. Dessa maneira, eles fizeram uma série de testes de memória, na qual era necessário memorizar detalhes espaciais, termos linguísticos e palavras aleatórias. Além disso, os participantes responderam perguntas sobre sua saúde mental.

“Nosso estudo está tentando construir uma base para entender como diferentes intensidades de exercício físico afetam diferentes aspectos da saúde mental e cognitiva”, disse o principal autor do estudo, Jeremy Manning.

Assim, os cientistas descobriram que os participantes mais ativos tinham melhor desempenho geral da memória, em comparação com os sedentários. Mas os resultados variavam de acordo com a intensidade dos exercícios.

Por exemplo, os que faziam exercícios de baixa intensidade, como caminhadas, por exemplo, tiveram melhor desempenho na memória episódica. Esse tipo de memória refere-se à capacidade de lembrar detalhadamente sobre situações cotidianas.

Já os participantes que se exercitavam com mais intensidade e praticavam HIIT ou corrida, se saíam melhor em tarefas de memória espacial. Ou seja, eles lembravam de espaços e lugares com mais facilidade. Um exemplo disso é lembrar onde estacionou o carro ou guardou as chaves de casa. 

Mas é importante lembrar que mais estudos devem ser feitos para tirar mais conclusões sobre o impacto do exercício na memória.

Referência: The New York Times

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina