Herpes zoster: saiba mais sobre a infecção e como se proteger

Saúde
01 de Fevereiro, 2024
Herpes zoster: saiba mais sobre a infecção e como se proteger

O herpes zoster, também conhecido como cobreiro, é uma doença desconfortável e extremamente dolorosa ² ³. Estima-se que a doença afeta uma a cada três pessoas ao longo da vida e dados do Centro de controle e prevenção de doenças dos Estados Unidos mostram que 99,5% dos indivíduos com 40 anos ou mais já estão infectados com o vírus ².

Embora seja potencialmente grave, é possível prevenir e tratar ²,4. A seguir, conheça as causas, sintomas e mais informações sobre o herpes zoster.

O que é o herpes zoster?

O herpes zoster também conhecido como “cobreiro” é causado pelo mesmo vírus da catapora, o varicela-zoster. Uma vez adquirida a catapora, após a cura da doença, o vírus pode permanecer adormecido no corpo por toda a vida. Nosso sistema imune naturalmente enfraquece conforme envelhecemos, o que pode permitir a reativação do vírus da catapora, causando o herpes zoster. ² 4

Veja também: Entenda a relação entre herpes e estresse e saiba como evitá-la

Quais são os sintomas?

Este tipo de herpes causa erupções cutâneas na forma de pequenas bolhas, que coçam, doem e podem gerar formigamento no local. Muitos pacientes relatam que a dor das lesões se parece com a de um choque elétrico. Além disso, a infecção pode causar dores de cabeça, febre e indisposição geral.

As áreas mais comuns à doença são tórax e abdômen, mas pode atingir qualquer outra região do corpo, incluindo os nervos cranianos, podendo afetar os olhos. O ciclo da infecção dura aproximadamente 4 semanas, e é comum que a pessoa continue sentindo dores depois desse período, mesmo com a cicatrização das lesões. ¹ ³

O que causa o herpes zoster?

Explicamos acima que o vírus da catapora é o responsável pela infecção do herpes zoster. Afinal, por que ele se manifesta dessa maneira? A catapora é uma doença infecciosa que, na maioria das vezes, surge na infância. No entanto, o vírus pode permanecer “dormindo” no organismo durante anos. Quando o sistema imunológico enfraquece por algum motivo — envelhecimento, quimioterapia ou uso de alguns medicamentos, por exemplo — o varicela-zoster encontra uma nova oportunidade de se manifestar.

Formas de transmissão

A manifestação do herpes zoster ocorre quando o vírus da catapora, já presente no organismo do indivíduo, é reativado em circunstâncias de queda de imunidade. Sendo assim, não é possível contrair o herpes zoster. No entanto, se uma pessoa que nunca teve catapora entrar em contato direto com as erupções cutâneas de uma pessoa com herpes zoster, ele pode adquirir a catapora.²

Quais são as possíveis complicações da doença?

O herpes zoster é uma doença que pode ter complicações graves e prolongadas, sendo a neuralgia pós-herpética a complicação mais comum. Afetando até 30% dos pacientes, a neuralgia pós-herpética é capaz de causar dor que pode persistir por anos. A manifestação oftálmica do herpes zoster pode afetar até 25% dos pacientes que sofreram um quadro anterior, podendo levar, em casos raros, à perda da visão. ²

Outras complicações também podem incluir:

  • Infecção secundária das erupções do herpes zoster. ²
  • Herpes zoster ótico – também conhecido como síndrome de Ramsay Hunt, ocorre quando o vírus infecta o nervo facial.²
  • Herpes zoster oftálmico – ocorre quando o vírus infecta os nervos afetados ao redor do olho.²
  • Complicações no sistema nervoso central e periférico.²
  • Complicações cardiovasculares.6
  • Impacto negativo na qualidade de vida.²

Esta não é uma lista exaustiva das complicações que podem surgir do herpes zoster. Fale com um profissional da saúde para mais informações.

Como saber se tenho herpes zoster?

Assim que notar qualquer sintoma típico da doença, procure um médico para receber atendimento. Durante a consulta, o médico irá avaliar os sinais da infecção para confirmar o diagnóstico.

Tratamento

Confirmada a doença, o médico pode recomendar medicamentos antivirais para combater o avanço do vírus e prescrever medicações para aliviar os sintomas. A terapia adotada pode variar de acordo com a gravidade da infecção, e pode envolver o uso de analgésicos para amenizar as dores das lesões. Aliados ao tratamento, os cuidados em casa são essenciais para a melhoria do quadro. São eles ¹²³:

  • Limpeza das feridas: lave delicadamente a região com água morna e sabonete neutro. Depois, é importante secar sem esfregar para não estourar as pequenas bolhas e irritar mais a pele.
  • Uso de roupas confortáveis: vista peças de algodão ou de tecidos respiráveis que não apertem ou gerem atrito com a pele.
  • Seguir o tratamento à risca: isso significa tomar os medicamentos de acordo com a recomendação médica e não fazer uso de pomadas ou outros produtos na pele por conta própria.

Como se prevenir

A vacinação é uma das formas de prevenção da doença 2,3, e é importante buscar sempre a orientação do profissional da saúde.

Perguntas frequentes

Todo mundo que teve catapora sofrerá com a doença?

Nem todos os que manifestaram a catapora vão desenvolver a enfermidade. No entanto, sabe-se que o envelhecimento, supressão por medicamentos e doenças que podem comprometer o sistema imune são fatores que aumentam a chance de reativação do vírus da catapora. Trata-se de uma doença imprevisível.

Estou com herpes zoster. Terei sequelas?

As complicações dependem de uma série de fatores que precisam de avaliação e acompanhamento profissional. Por isso, é recomendado procurar o seu médico para iniciar o tratamento da doença o quanto antes. No entanto, quanto maior a idade, maior é o risco de complicações, como a neuralgia pós-herpética (NPH).2,5

Referências:

1. YAWN, Barbara P. GILDEN,Don. The global epidemiology of herpes zoster.
Neurology, v.81,n.10,p.928-930,2013.
2. CENTERS FOR DISEASE CONTROL AND PREVENTION. Prevention of
herpes zoster: recommendations of the Advisory Committee on Immunization
Practices (ACIP). MMWR, v. 57, RR-5, p. 1-30, 2008.
3. KATZ, J.; MELZACK, R. Pain control in the peroperative period, measurement
of pain. Surg Clin North Am, v. 79, n. 2, p. 231-52, 1999.
4. MINISTÉRIO DA SAÚDE. Herpes (cobreiro). Disponível em:
https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/h/herpes-cobreiro1/herpes-cobreiro. Acesso em: 30/08/2022
5. KAWAI, K.; GEBREMESKEL, B. G.; ACOSTA, C. J. Systematic review of
incidence and complications of herpes zoster: Towards a global perspective.
BMJ Open, v. 4, n. 6, 2014.
6. ERSKINE, N. et al. A systematic review and meta-analysis on herpes zoster
and the risk of cardiac and cerebrovascular events. PLoS ONE, v. 12, n. 7,
2017

Material destinado ao público em geral. Por favor, consulte o seu médico. Conteúdo de responsabilidade exclusiva da Raia Drogasil com apoio GSK.

NPBRHZXKIT220005 NOV/23

Leia também:

Quem não pode tomar vacina da dengue
Saúde

Quem não pode receber a vacina da dengue?

Faltam testes sobre a segurança e eficácia da vacina em determinados públicos; veja quais são

foto de folhas de citronela em uma bandeja de bambu
Bem-estar Casa Saúde

Planta citronela espanta mosquito da dengue?

A planta possui um óleo essencial desagradável para alguns insetos. Contudo, a citronela não deve ser a única estratégia para espantar o mosquito da dengue

Cinco habitos
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Cinco hábitos indispensáveis para a saúde

Para iniciar uma mudança de comportamento, confira cinco atitudes simples para incorporar no dia a dia que trazem benefícios no futuro