Fluoxetina: Para que serve e como usar o remédio

24 de julho, 2019

A Fluoxetina, ou Cloridrato de Fluoxetina, é um antidepressivo indicado para depressão, sendo associada ou não à ansiedade. Também é recomendado para o tratamento de bulimia nervosa, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM), incluindo tensão pré-menstrual (TPM), irritabilidade e disforia (mal-estar provocado pela ansiedade). Aqui você vai saber fluoxetina para que serve e como usar o remédio.

No mercado pode ser encontrada não só pelo nome da substância como também: Prozac, Daforin, Veronita, Fluxene dentre outros. Os preços podem variar entre R$19* e R$64* pela caixa.

A venda de Fluoxetina só é feita com a retenção de receita prescrita pelo médico, sendo considerado um remédio controlado e de tarja preta pela Anvisa. Deve ser administrado por via oral e pode ser tomado independente das refeições. Não tome mais que a quantidade recomendada pelo médico para períodos de 24 horas. Lembre-se de sempre renovar sua receita antes que sua medicação termine.

Leia também: Sibutramina: Para que serve e efeitos colaterais

Composição do Cloridrato de Fluoxetina

Cada cápsula contém:

  • Cloridrato de fluoxetina: 22,40 mg (equivalente a 20 mg de fluoxetina);
  • Excipientes q.s.p.: 1 cápsula (amido e silicona).

Como fazer o uso da medicação?

Cada caso requer uma quantidade e dosagem específica de medicação, sendo que sempre deve ser indicada por um médico. Mas, não existe fórmula mágica pois cada pessoa requer um cuidado especial contando com dosagens diferentes de acordo com o problema e a idade do paciente.

Fluoxetina para que serve

Mesmo com todas as ressalvas, vamos ao que interessa: A fluoxetina realmente ajuda a emagrecer ou só faz engordar?

A resposta é simples, de forma saudável NÃO. O emagrecimento é relacionado ao seu uso pois a redução de apetite é um efeito colateral do remédio. Outro cenário a ser explorado é quando a ansiedade faz com que a pessoa coma mais, mas deve ser tratado com acompanhamento médico e em conjunto com exercícios físicos.

Fluoxetina para que serve: Contraindicações

O cloridrato de fluoxetina não deve ser usado por pacientes alérgicos à fluoxetina ou a qualquer um dos seus excipientes. Cloridrato de fluoxetina não deve ser administrado a pacientes que estão utilizando inibidores da monoaminoxidase (IMAO), reversíveis ou não, como por exemplo, o PARNATE® (sulfato de tranilcipromina) (puro ou em associação) e o AURORIX® (moclobemida).

Nesse caso, o paciente deverá esperar no mínimo 14 dias após a suspensão do tratamento com IMAO para iniciar o tratamento com o cloridrato de fluoxetina. O paciente deverá deixar um intervalo de pelo menos 5 semanas (ou talvez mais, dependendo da avaliação médica, especialmente se a medicação foi prescrita para o tratamento crônico e/ou em altas doses) após a suspensão do tratamento com cloridrato de fluoxetina e o início de tratamento com um IMAO ou tioridazina (MELLERIL®). O uso combinado de cloridrato de fluoxetina com um IMAO pode causar eventos adversos graves, podendo ser fatal.

Por fim, o Cloridrato de Fluoxetina é contraindicada para menores de 18 anos.

Os efeitos colaterais

Os efeitos colaterais que podem aparecer em 10% são: diarreia, náusea, cansaço (fadiga, incluindo astenia, ou seja, a perda ou a diminuição da força muscular), dor de cabeça e insônia (incluindo despertar cedo, insônia inicial, insônia de manutenção do sono).

Já em 01%: palpitações, visão turva, boca seca, desconforto gastrointestinal (dispepsia), vômitos, calafrios, sensação de tremor, diminuição de peso, diminuição do apetite (incluindo anorexia), distúrbio de atenção, vertigem, alteração do paladar (disgeusia), sensação de lentidão de movimentos e raciocínio (letargia), sonolência (incluindo hipersonia e sedação), tremor, sonhos anormais (incluindo pesadelos), ansiedade, diminuição do desejo sexual (diminuição da libido) [incluindo perda da libido], nervosismo, cansaço, distúrbio do sono, tensão, micções (ato de urinar) frequentes ou anormalmente frequentes (polaciúria), distúrbios da ejaculação, sangramentos e hemorragias ginecológicas, disfunção erétil, bocejo, suor em excesso (hiperidrose), coceira (prurido), erupções da pele, erupções da pele com coceira (urticária) e rubor (incluindo fogachos).

Remédios disponíveis para tratar o excesso de peso além do Cloridrato de Fluoxetina

  • Sibutramina: antidepressivo com ação no sistema nervoso central. Como pode trazer riscos cardíacos, seu uso é bem controlado;
  • Orlistate: diminui a absorção de gordura da dieta, que é eliminada nas fezes. Seu efeito na perda de peso é limitado;
  • Liraglutida: imita a ação do hormônio GLP-1, originalmente fabricado pelo intestino. O objetivo é induzir uma maior saciedade;
  • Lorcaserina: mexe com o neurotransmissor serotonina e faz com que o indivíduo se sinta satisfeito mesmo comendo menos.

Fluoxetina: Para que serve

A Fluoxetina é um antidepressivo utilizado em diversas situações mas não deve ser utilizada para quem busca emagrecer, já que a redução de apetite é um dos muitos possíveis efeitos colaterais.

Por fim, caso você realmente busque o emagrecimento o melhor a ser feito é utilizar uma alimentação equilibrada com exercícios físicos. Jamais tome medicação sem orientação médica e não esqueça de consultar seu médico regularmente, além de contar com um bom nutricionista.

*Preços pesquisados em 2019

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.