Excesso de peso no treino: 5 sinais que indicam que você precisa diminuir a carga

Bem-estar Movimento
18 de Maio, 2023
Excesso de peso no treino: 5 sinais que indicam que você precisa diminuir a carga

Seja no haltere ou nos aparelhos de musculação, levantar peso na academia é uma excelente forma de fortalecer o corpo. Mas, para colher os benefícios da boa forma física, é necessário ter cuidado com o excesso de peso no treino.

Ao contrário do que muitos pensam, sobrecarregar a musculatura não é a melhor forma de ter resultados. Pelo contrário, esse esforço exagerado pode causar lesões musculares, execução incorreta e até desmotivação com a rotina de treinos. A seguir, confira os sinais de que você precisa pegar mais leve. 

Veja também: Quanto tempo leva para ver os resultados da academia?

5 sinais que indicam excesso de peso no treino

Embora a intenção de alcançar resultados melhores na academia seja compreensível, é fundamental relembrar que existem outras formas mais saudáveis para obter sucesso em seu programa de treinamento.

Portanto, comprometer a saúde do corpo em busca de ganhos rápidos pode resultar em consequências indesejadas a longo prazo. Felizmente, existem fatores que podem servir como indicadores importantes de que é hora de reavaliar a carga que você está levantando, são eles:

1. Redução da amplitude de movimento

A amplitude de movimento se refere é a distância e direção do exercício. Portanto, se você está realizando movimentos muito curtos, isso pode indicar sobrecarga de treino. Não adianta exceder no peso e não conseguir executar a atividade da forma correta. Por isso, diminua a quantidade de anilhas ou recorra aos pesos menores se estiver com dificuldades para completar o exercício. 

2. Falha na execução da técnica 

Se o peso está alto o suficiente para te fazer errar na execução, esse é mais um sinal de que está na hora de abaixar a carga. Ou seja, quando você utiliza utiliza outras musculaturas do corpo para impulsionar o exercício — além da musculatura que está sendo trabalhada, ou até mesmo quando você não consegue terminar as séries pelo cansaço. 

3. Tremores

O tremor durante os exercícios também pode ser resultado da sobrecarga do músculo, que ocorre quando o peso ou a resistência utilizada no treino é maior do que o músculo está acostumado a suportar. Portanto, é sempre bom estar atento aos seus limites. 

4. Excesso de peso no treino: Dores intensas

Se você sente muita dor durante ou após o treino, mesmo em exercícios que você já está acostumado, isso pode ser um sinal de exagero. A dor pode envolver os tendões, músculos e até articulações. Em alguns casos, comprometendo até mesmo a musculatura. 

Mas, se o seu treino é novo ou você é iniciante na academia, saiba esse sintoma é esperado nos primeiros dias, mas tende a passar rapidamente com as futuras execuções do treino. No entanto, caso a dor seja muito intensa, vale procurar ajuda de um educador físico para reavaliar os pesos ou de um médico para identificar possíveis lesões. 

5. Número de repetições muito baixo

A fadiga extrema do músculo é um dos motivos para o baixo número de repetições. Nesses casos, você se sente tão cansaço a ponto de realizar o mínimo para completar a série. Porém, a sobrecarga pode ter o efeito contrário e prejudicar os músculos com lesões.

Excesso de peso no treino: Afinal, como definir o peso ideal? 

Não existe uma receita de bolo para definição da carga correta. Mas vale começar com pesos menores e ir aumentando progressivamente, analisando como o movimento é feito. Guilherme de Almeida e Leme, educador físico e gerente técnico da Bio Ritmo Academias recomenda que o aluno estabeleça uma faixa de repetições que deseja enfatizar (exemplo 6 a 10 repetições) e, no momento em que se ultrapassa 10 repetições, a carga deve ser aumentada. Porém, quando não se atinge ao menos 6 repetições, a carga deve ser reduzida.

Outro fator que deve ser considerado é que, geralmente, as pessoas com maior estatura física têm condição de suportar pesos maiores. “Contudo, a força muscular é altamente treinável para que pessoas com menor estatura e peso possam levantar altas cargas e, muitas vezes, cargas até maiores do que pessoas mais altas e mais pesadas”, indica.

Nesse sentido, o educador aconselha que o nível de aptidão individual deve ser um fator determinante para a escolha da carga, baseado no histórico de treinamento, capacidade de coordenação e força nos exercícios a serem feitos. Além disso, testes de repetições máximas ajudam a determinar a carga individual correta com mais precisão.

Lembre-se, o exercício não pode ser fácil demais e requer esforço para obter resultados. Por isso, encare a progressão de carga como um desafio constante, mas que não pode ser exagerado.

 

Fonte: Guilherme de Almeida e Leme, educador físico e gerente técnico da Bio Ritmo Academias

Sobre o autor

Tayna Farias
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em gravidez e maternidade

Leia também:

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina