Quando ser egoísta pode ser uma coisa positiva?

Bem-estar Equilíbrio
10 de Fevereiro, 2020
Lívia Barbosa Alves de Souza
Revisado por
Psicóloga • CRP 01/22261
Quando ser egoísta pode ser uma coisa positiva?

O egoísmo é descrito como priorizar apenas a si mesmo, agir em prol somente de seus interesses e ignorar o fato de que esse comportamento pode muitas vezes magoar as pessoas. Mas quando ser egoísta pode ser uma coisa positiva? Será que existe essa possibilidade?

O egoísmo passa despercebido em relações superficiais, mas é facilmente sentido em relações mais íntimas. Em um relacionamento com o egoísta, por exemplo, não há troca, reciprocidade e nem retroalimentação. Além disso, está ligado com o ato de pensar/agir exclusivamente pensando em si mesmo, como se o outro não existisse, agindo apenas em benefício próprio.

Diferença entre o autocuidado e o egoísmo

Portanto, existe uma grande diferença entre o autocuidado e o egoísmo. Isso porque o autocuidado é o investimento/comprometimento que temos em cuidar de nós mesmos. É buscar equilíbrio e qualidade de vida.

Leia também: Amizade tóxica: O que é e como identificar

O amor próprio está ligado ao autorrespeito, preservação. Não significa desrespeitar o outro, mas, sim, dar prioridade a si mesmo. É optar por seus valores e necessidades, com respeito e verdade.

Acontece muitas vezes também de as mulheres se sentirem culpadas ao se colocarem em primeiro lugar. O papel da mulher é ambivalente em nossa sociedade. Por um lado, esperamos que a mulher tenha uma carreira sólida, invista na sua formação, por outro, ainda é esperado e cobrado a figura da mulher dedicada à família, aos cuidados do lar, filhos (maternidade).

Leia também: Autocuidado: O que é, como praticar e benefícios desse hábito

“Essa ambiguidade acaba sobrecarregando a mulher moderna e gerando sentimentos de culpa, principalmente quando ela dá prioridade às suas necessidades, uma vez que ainda está arraigada em nossa sociedade a valorização da mulher cuidadora, mãe-esposa e dedicada ao lar” explica a psicóloga Dolores Pinheiro Fernandez.

Quando o egoísmo pode ser positivo?

Segundo a especialista, o egoísmo é positivo quando promove saúde, bem-estar físico e emocional, atendendo às necessidades do indivíduo, em favor de seu crescimento pessoal ou profissional, de maneira ética e respeitosa aos valores da sociedade onde vivemos.

Assim, ser egoísta é permitido e necessário em situações que temos que decidir cuidar de nós mesmos, e nos colocar em primeiro lugar. 

Um bom exemplo são relacionamentos disfuncionais, em que precisamos aprender a dizer não, ou até mesmo nos afastarmos de algumas pessoas em prol do nosso bem-estar, ou também quando há relação com excesso de trabalho. 

Diante disso, se você não pretende ser egoísta de uma forma negativa, o equilíbrio é essencial. 

“Daí a importância da terapia e do autoconhecimento, para reconhecermos nossas necessidades e prioridades e aprender a dizer não, de maneira assertiva, sem desmerecer ou desrespeitar aqueles que nos rodeiam.” complementa a psicóloga.

Fonte: Dolores Pinheiro Fernandez, psicóloga.

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.

Leia também:

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond

personal ajudando aluno a fazer o exercício crucifixo inclinado na academia
Bem-estar Movimento

Crucifixo inclinado: como fazer corretamente para evitar dores

A posição do banco no crucifixo inclinado faz com que o exercício enfatize bem os músculos do peitoral. Confira o passo a passo

criança nadando na piscina
Bem-estar Movimento

Crianças podem (e devem) fazer natação no inverno!

Prática deve ser contínua mesmo no frio, pois aumenta imunidade e o gasto calórico. Veja os benefícios da natação no inverno para as crianças!