Dor muscular: como os relaxantes musculares podem ajudar

1 de junho, 2022

Provavelmente, você já sentiu dores musculares em algum momento da vida, seja por excesso de exercícios ou após ficar muito tempo sentado. Mas você sabia que existe um termo técnico para referir-se a essas dores musculares? Os médicos as chamam de “mialgia”.

Conforme dados da Comissão Europeia após pesquisa realizada em 2006, um terço dos trabalhadores sofrem com dores nas costas e dor muscular. Além disso, outro estudo aponta que 85% da população mundial pode ter, ao longo da vida, ao menos uma ocorrência de lombalgia (dor nas costas) de origem muscular.

O que são dores musculares?

As dores musculares surgem como resultado do processo inflamatório das fibras musculares. Dessa forma, quando elas se rompem, os nociceptores – responsáveis por detectar estímulos que danificam os tecidos musculares – são ativados, ocasionando as dores

A intensidade e duração da dor muscular depende da causa, podendo durar horas, dias ou até mesmo meses.

Causas das dores musculares

As dores musculares podem aparecer por diversos motivos. Confira os principais fatores que contribuem para a mialgia:

  • Exercícios físicos intensos;
  • Tensão muscular por estresse ou ansiedade;
  • Acidentes;
  • Má postura;
  • Fibromialgia;
  • Câimbra;
  • Inflamação do nervo ciático;
  • Efeitos colaterais de remédios;
  • Infecção por vírus, bactérias e parasitas.

Relação entre o estresse e as dores musculares

Segundo estudos, uma das principais causas do desenvolvimento da mialgia é a tensão muscular. Assim, a dificuldade de relaxamento pode ser provocada, principalmente, por fatores psicológicos e psicossociais. Ou seja, estresse ou ansiedade.

Uma pesquisa feita em 2015 pela The Malaysian Journal of Medical Sciences e publicada no National Library of Medicine, mostrou que o estresse crônico ou agudo, pode provocar uma hiperalgesia: alta sensibilidade à dor. Neste caso, o estresse afeta uma área do cérebro chamada núcleo accumbens, responsável pelo prazer e pela sensação de dor.

Principais dores musculares

Dor no braço

Geralmente, a dor no braço é conhecida como dor muscular tardia. A sensação ocorre entre 24 e 48 horas depois do exercício físico, quando o indivíduo pratica algum movimento que não está acostumado de alta intensidade ou longa duração.

Ou seja, a dor muscular no braço surge após o início da prática esportiva e está associada às lesões ocupacionais por movimentos repetitivos.

Dor no pescoço

Um artigo feito pela revista médica Best Practice & Research: Clinical Rheumatology, publicado em 2010 no National Library of Medicine, descobriu que a incidência de dor na coluna cervical varia entre 10,4% e 21,3% da população mundial. A taxa é superior entre pessoas que trabalham em escritórios e passam a maior parte do tempo em frente ao computador.

Dor nas costas

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), cerca de 80% da população mundial já teve ou sente dor na coluna lombar.

Marcelo Amato, neurocirurgião especialista em endoscopia de coluna, explica que a dor acomete a parte inferior das costas, acima dos glúteos: “Acredita-se que todo mundo já teve, tem ou terá dor na região lombar em algum momento da vida”, comenta.

Essa dor também é chamada de lombalgia e na maioria das vezes, não é grave, podendo ser resultado de uma má postura ou esforços repetitivos, por exemplo. No entanto, o ideal é procurar um especialista em coluna para investigar a dor, principalmente se for frequente e sem nenhum motivo antecedente.

Dor muscular pós-treino

Aquela sensação de acordar e não conseguir ao menos levantar-se da cama é a consequência de trabalhar a musculatura. A dor muscular pós-treino é o reflexo da resposta dos músculos para reparar o dano sofrido, e normalmente aparece de 48 a 72 horas após a atividade.

Leia também: 4 dicas para evitar dor muscular depois do treino

Relaxantes musculares

De fato, as dores musculares são um tanto quanto incômodas e podem ser muito incapacitantes. Existem diversos tipos de tratamento para esse problema, um dos mais comuns é o uso de relaxantes musculares. Esse tipo de medicamento atua diretamente no sistema nervoso central, reduzindo os espasmos musculares e, consequentemente, a sensação de dor.

Para os especialistas, o efeito sedativo que os relaxantes musculares provocam aumentam a eficácia do tratamento de doenças musculoesqueléticas.

Contudo, é importante ressaltar que o uso de relaxantes musculares deve ser feito com orientação médica e nunca por uso próprio. Além disso, o tratamento não deve ultrapassar duas semanas.

Citrato de orfenadrina

O citrato de orfenadrina, mais conhecido como “Dorflex”, é uma substância que pode ser encontrada em farmácias como fórmula isolada ou associada a medicamentos analgésicos. 

De acordo com estudos científicos, a orfenadrina realmente é eficaz no tratamento de dores agudas nas costas ou pescoço. Isso porque esse medicamento atua especialmente nos sistemas envolvidos na regulação da dor.

Referências

Marcelo Amato, neurocirurgião especialista em endoscopia de coluna.

Links úteis

Dorflex

Tua saúde