Dieta mediterrânea combate doenças intestinais, diz estudo

8 de junho, 2020

Qual a relação entre a dieta mediterrânea e doenças intestinais? Não é de hoje que a dieta mediterrânea apresenta benefícios cientificamente comprovados para a saúde. Dessa vez, um estudo desenvolvido na Universidade de Cagliari, na Itália, demonstrou que essa alimentação ajuda no combate de doenças intestinais inflamatórias devido à abundância de alimentos anti-inflamatórios que a compõem.

O que são doenças inflamatórias intestinais?

Basicamente, uma doença inflamatória no intestino (DII) representa uma inflamação contínua em todo ou em parte do trato digestivo. Assim, pode se tratar da doença de Crohn ou da colite ulcerativa (RCU). Ambas são graves, apresentam risco à vida e podem causar sintomas como diarreia, hemorragia, cólicas e febre. 

Leia mais: O que saber antes de seguir a dieta mediterrânea

Dieta mediterrânea x doenças inflamatórias intestinais

O estudo promovido por cientistas italianos analisou os hábitos alimentares de pacientes de doenças inflamatórias intestinais e, em conclusão, ficou claro que os pacientes que seguissem a dieta mediterrânea apresentariam sintomas mais leves e menos frequentes

No total, 84 das pessoas que participaram do estudo sofriam de colite ulcerativa e as 58 outras sofriam de doença de Crohn. A princípio, todas as 142 pessoas passaram a seguir a dieta mediterrânea, fazendo cinco refeições diárias (dois lanches e três refeições mais completas). 

Finalmente, após seis meses seguindo essa alimentação, todos os pacientes apresentaram grande alívio em seus sintomas. Além disso, afirmaram ter notado melhora significativa na qualidade de vida.

Leia também: Benefícios da dieta mediterrânea para os rins

Alimentos recomendados pela dieta mediterrânea

  • Peixes e frutos do mar;
  • Azeite e gorduras boas;
  • Alimentos integrais;
  • Frutas e verduras;
  • Leite e derivados;
  • Proteínas e leguminosas.

Todos esses alimentos possuem propriedades anti-inflamatórias (em sua maioria, são ricos em antioxidantes). Portanto, ajudam a combater as inflamações no intestino. São essas inflamações que provocam as chamadas doenças inflamatórias intestinais. Além disso, esses alimentos beneficiam a saúde dos rins, diminuem o risco de obesidade e outras doenças, como graves problemas no fígado e no coração.

Sobre o autor

Nathália Lopes
Nathália Lopes
Estagiária de Jornalismo