Dieta carnívora: O que é e quem pode fazer

20 de maio, 2020

O que você acha de comer carne, muita carne, e ainda melhorar a sua produtividade, clareza mental, a sua libido e a sua pressão arterial? É isso o que os defensores da nova dieta carnívora acreditam. A base dessa dieta é apenas carne, vísceras, ovos, peixes e queijos curados. Nada de vegetais ou alimentos de origem vegetal e também nenhum tipo de suplemento.

É totalmente o oposto da dieta vegana. É uma versão de dieta com alto teor de proteínas e gorduras saturadas e nada de carboidratos. Mas, não existe um protocolo definido de quantidade de proteínas e gorduras a ser ingeridas.

Assim, a dieta carnívora é uma versão mais extrema da dieta cetônica e, como o nome sugere, significa comer apenas alimentos de origem animal. 

Como funciona a dieta carnívora

Você pode comer todo tipo de carne, incluindo carne de vaca, frango, peixe, miúdos – como fígado e rins. E, se estiver se sentindo aventureiro, vísceras e cérebro. Além disso, a carne só pode ser temperada com um pouco de sal e pimenta, não são permitidos outros temperos. E, enquanto algumas variações da dieta carnívora permitem laticínios integrais, os seguidores mais extremos omitem completamente os laticínios. 

Enquanto isso soa (e é) extremo, os defensores da metodologia dizem que consumir apenas carne ajuda com muitas condições de saúde, como fadiga, obesidade e saúde digestiva.

Leia também: Dicas de como manter o foco na dieta low carb

Você pode comer qualquer alimento de origem animal que desejar em qualquer quantidade ou combinação que preferir e beber água como fonte de líquido, seguindo os sinais de fome e de saciedade. Porém, alguns são um pouco mais flexíveis e fazem exceções para café, chá, vinho, destilados e temperos.

A carne é saciante, o gosto é bom, e normalmente não somos tentados a comer carnes demais. Ao contrário de deliciosas tentações como pizza e sorvete, não nos empolgamos e “acidentalmente” comemos um monte de bifes de forma descontrolada.

Ouça seu corpo 

Preste atenção em como você se sente fisicamente, mentalmente, emocionalmente e cognitivamente. Provavelmente, haverá um período de adaptação, especialmente se você estiver migrando para uma dieta carnívora de uma dieta padrão ocidental com alto teor de carboidratos.

Contudo, apesar da ausência de estudos, os efeitos positivos da dieta dos carnívoros podem ser plausivelmente validados usando a ciência já existente. Com alto teor de proteína e virtualmente zero carboidratos, a dieta carnívora é provavelmente mais saciante, menos calórica e mais densa que uma pessoa pode comer. Não é de surpreender que os recém-chegados ao estilo alimentar estejam desfrutando de uma rápida perda de peso e dos benefícios associados.

A dieta carnívora é para todos?

De maneira resumida, a resposta é não. Especialmente se a pessoa não gostar de carnes e tiver dificuldade de comer carnes com gordura. Além disso, quem faz questão de variedade e gosta de consumir vegetais e frutas, certamente enfrentaria dificuldades. 

Portanto, é indicada para aqueles que gostam de comer carnes e se sentem bem variando apenas os tipos de animais e cortes. Da mesma forma, para pessoas que já conhecem bem as dietas low carb e cetogênica, e estão habituadas com esse estilo alimentar baseado na baixo ingestão de carboidratos, utilizando as gorduras como principal fonte de energia.

Considerações finais

Se você pensou em adotar a dieta carnívora, mas já tem uma condição médica ou está tomando medicação (para pressão alta ou diabetes tipo 2, especialmente insulina) você deve ser monitorado por um médico. Não ajuste seus medicamentos sem supervisão.

Leia também: Como retomar a dieta na quarentena e emagrecer

Sobre o autor

Vanessa Losano
Vanessa Losano - Nutricionista CRN3 34283