Dia do cérebro: hábitos para proteger o órgão

22 de julho, 2022

O cérebro é um dos órgãos mais importantes do nosso corpo. E hoje, no dia do cérebro, viemos ressaltar a importância de protegê-lo e se atentar às doenças neurológicas.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2050, a previsão é que o número de pessoas com demência deve crescer mais de 150%, passando de 55 para 139 milhões.

O que diz a ciência

Um estudo feito pelo Centro Médico da Universidade do Mississipi, nos Estados Unidos, e publicado na revista científica Neurology, descobriu que o conjunto de sete hábitos conseguem reduzir em até 43% o risco de demência – mesmo para aqueles com predisposição genética.

Para chegar aos resultados, os pesquisadores coletaram informações de 10 mil pessoas que tinham idade média de 54 anos no início do período, durante três décadas. Assim, eles avaliaram o impacto de alguns hábitos na saúde cardiovascular e na redução do desenvolvimento de demências.

Leia também: Dia do cérebro: entenda sobre o envelhecimento do cérebro

Os resultados mostraram que aqueles que aderiram aos hábitos tiveram uma incidência de 6% a 43% menor no risco de demência.

“Esses hábitos saudáveis dos “7 simples da vida” têm sido associados a um menor risco de demência em geral, mas era incerto se o mesmo se aplica a pessoas com alto risco genético. Mesmo para essas pessoas, viver com esse estilo de vida mais saudável leva a um risco menor”, afirma a pesquisadora do Centro Médico da Universidade do Mississipi e autora do estudo, Adrienne Tin, em comunicado.

Dia do cérebro: quais hábitos adotar?

Confira quais são os sete hábitos citados no estudo:

  • Praticar exercícios físicos: o ideal é ter pelo menos 300 minutos de atividade física por semana. Isto é, até uma hora de exercícios por cinco dias ou 40 minutos por sete dias – ou 150 minutos de atividade física intensa por semana;
  • Ter uma alimentação saudável: evite ter uma dieta calórica, opte por carnes magras, vegetais, oleaginosas e frutas, por exemplo;
  • Evitar o sobrepeso: a obesidade é o acúmulo excessivo de gordura corporal, portanto, fique atento ao seu IMC;
  • Manter a pressão arterial normal: o ideal é estar entre 90×60 a 120×80;
  • Não fumar: a principal causa de câncer no pulmão está relacionada ao tabagismo. Sem contar os outros diversos problemas que fumar traz para a saúde;
  • Manter o colesterol e a taxa de açúcar no sangue em níveis adequados: você pode fazer isso adotando uma alimentação saudável. Evitando alimentos como gorduras saturadas, carne vermelha, gema de ovo, manteiga, laticínios, queijos amarelos e produtos industrializados, por exemplo.

Referência: O Globo

Sobre o autor

Julia Moraes
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em fitness, saúde mental e emocional.